sábado, 4 de junho de 2016

ANTOLOGIA VIRTUAL MAIO 2016 PORTAL CEN - "CÁ ESTAMOS NÓS"


ANTOLOGIA VIRTUAL CEN 2016

XVII EDIÇÃO 
PORTAL CEN - "CÁ ESTAMOS NÓS"
JUNHO DE 2016

Aos Escritores do Portal CEN – “Cá Estamos Nós”, colaboradores e leitores desejamos que o AMOR seja sempre a base para toda construção. Sinceros agradecimentos pela participação de todos. Portal CEN – “Cá Estamos Nós”, Centro Cultural Maria Beatriz e seus Assessores.

AUTORES E COLABORADORES CEN


Revista Virtual ESPECIAL "AMOR",
organizada por Maria Beatriz Silva
Assessora do Intercâmbio Cultural CEN
Idealizador, Carlos Leite Ribeiro, Presidente do Portal CEN - Portugal
Parceria: Centro Cultural Maria Beatriz - Laje do Muriaé (RJ) - Brasil




ADRIANO COELHO PEIXOTO
Laje do Muriaé (RJ) - Brasil

A AMADA E O AMOR

O amor é como um beija-flor
Que vem agraciar a linda flor
Se encantou por sua beleza
Se apaixonou pela sua delicadeza.

Alguém um dia maltratou a flor
Ferida, a flor, morreu em meio à dor
Voltava todo dia o beija-flor.

Em meio à grande tristeza
Na esperança que a flor,
Um dia, novamente floresça...

Adriano Coelho Peixoto



ADÉLIA EINSFELDT
Autora Portal CEN
Porto Alegre/RS.
BRASIL

CASTIÇAL

Pés de bailarina
serpenteiam na
ponta vertiginosa
do castiçal de cristal

uma vela vermelha
espremida
cera derretida

no chão
sobras de amor
em gotas cereja

Adélia Einsfeldt




ANA DENISE SOUSA
Taguatinga (DF) Brasil

SUBLIME SILÊNCIO DE AMOR

Paz que te quero azul,
ampla e infinita como o céu
toco no manto sagrado
de seu eterno branco
branco, azul e com asas.
Tu és do Alto
a paz é Deus dormindo em mim
Maria, mulher nas alturas
paz , tu és o sorriso das minhas asas
ausência de angústias
sublime silêncio de amor...

Ana Denise Sousa


ANA MARIA DO NASCIMENTO
(Anamaria Nascimento)
Araçoiaba (CE) Brasil

IRRESTRITO AMOR

Embora exista um coração ferido,
hoje sangrando aqui dentro de mim,
meu pensamento busca carecido
motivação para seguir, enfim.

Vive a lembrar o caminhar florido
antes de ser abandonado, assim,
por quem gostava, sem julgar, fingido,
esperançoso dum sublime fim.

Pois quem dispensa grandioso amor,
mesmo ciente de não ser aceito
deve mostrá-lo, sem qualquer temor.

Essa conduta delimita um feito
e nos protege de qualquer rancor
quando sofremos um amor desfeito.

Ana Maria do Nascimento




ANA MARIA SILVEIRA
Vargem Grande Paulista

O VELHO PROFESSOR

Inesquecível o velho Professor Hasselmann. Franciscano, ministrava aulas de Paleografia em pesquisas históricas, na antiga Universidade do Brasil, Rio de Janeiro. Era também conservador de livros raros na Biblioteca Nacional. Geralmente quando terminavam suas aulas, saía pelo Largo de São Francisco e logo era rodeado pelos mendigos moradores de rua, que habitualmente lhe pediam remédios, comida, um brinquedo para os filhos. 

Gordo, barrigudo e com volumoso bigode branco, ninguém se dava conta da grande modéstia daquele ancião, sempre bem vestido com o único terno, sempre limpo e impecavelmente engomado. Indo e vindo do seu pequeníssimo apartamento localizado entre os dois locais de trabalho, só andava a pé. Dormia em um colchonete no chão e seu travesseiro era um enorme livro de gramática grega enrolado num lençol.

Glutão, seus jovens colegas o percebiam famélico próximo ao final do mês e sempre, disfarçadamente, o convidavam para almoçar.  

Um dia um deles comentou:

-Professor, o senhor não pode comprometer quase todo seu salário com os necessitados...

-Pode ser, mas não consigo lhes negar nada. Conheço cada um desses seres humanos, bondosos e esquecidos. Quero que se lembrem de que um dia alguém os amparou sem lhes pedir nada em troca...

Sempre me comove esse amor emblemático, cristão, fraterno, profundo, silencioso.
Com frequência ainda nos lembramos do Velho Professor do início da década de 70, erudito, que declamava peças de teatro em grego ou em latim, generosamente traduzindo trechos quando percebia confusos seus ouvintes menos iluminados.


Ana Maria Silveira



AMÉLIA LUZ
Pirapetinga (MG) Brasil

“LUCIANA”

“Luciana,” “Ouve o meu silêncio”,
Silêncio da minha oração.
“Pela luz dos olhos teus”,
“Pelos caminhos da vida”
Estamos em “Regra de três”
No “Samba da benção”.
 “Sem medo” de “Um novo dia”
Soletro amor com “Taquicardia”...
“Minha namorada” eu deixo o meu “Testamento”:
Para ti “Tudo o que é meu”, “Tristeza e solidão”,
“Uma rosa em minha mão”,
“A valsa dos músicos” e
Ainda mais um “Viva ao amor”...
“Além do tempo”, “Em algum lugar”
Estaremos sempre bem juntinhos,
Onde a “Felicidade” nos acolherá.
Lá, “No colo da serra” farei um “Apelo”.
Enviarei “Carta ao Tom” que receberá
O nosso “Cartão de visita”.
Com o violão aparecerá para entoarmos
Uma “Valsa em dueto” na celebração
Deste nosso grande amor.
Minha razão de viver, meu doce encanto,
Pura “Água de beber” que me renova!

Obs.: títulos das canções compostas e/ou gravadas por Vinícius de Moraes.

Amélia Luz




AMILTON MACIEL MONTEIRO

AMOR, AMOR, AMOR...

Feliz de quem encontra o amor na vida!
Tudo o que sonha espera que dê certo;
mesmo sem sol terá seu tempo aberto.
Se aperto houver, terá feliz saída...

Assim, de forma até que imerecida
desfruto disso tudo, mas decerto
porque encontrei e sempre estou por perto
bem perto de você que não me olvida.

O coração diz mais do que está cheio;
nesse provérbio antigo eu também creio!
Se eu vivo com você, sem bem por quê:

Sou feliz na saúde e até na dor,
já que, meu bem, só ouço de você:
amor, amor, amor, amor, amor...

Amilton Maciel Monteiro



ANDRADE SUCUPIRA FILHO
Vitória(ES) Brasil

AMOR CORREIO

Levei tua mensagem
Codificada
Fada

Para dentro

Centro

Das flores
Perfume

Montanha cume
Beijo segredo
no vento da boca tua

Livre gaivota
Libido...recebido
Ponto

***   ***

AMOR MAGIA

Quando teu corpo emana, sem aviso,
esse perfume doce, teu somente,
quero fundir-me em tu, beijar-te quente,
possuir-te até levar-te ao paraíso.

Quando os cabelos teus, suaves fios,
tocam na minha face, sutilmente,
quero fazer-me teu amor ardente,
quero fazer-te oceano dos meus rios.

Quando esse teu olhar verde me fita,
a me falar numa linguagem rara,
parece que o universo inteiro para,
e a vida fica muito mais bonita.

Andrade Sucupira Filho



ANDRÉ ANLUB
Brasil

TAPETE VERMELHO DO AMOR

Saiu à lista dos apaixonados do ano,
Nem sicrano, nem fulano...
Meu nome estava lá!
Foi magia; em primeiro lugar – quem diria.
- Mas, por favor, não vão me alugar...

Já era de praxe,
Peguei pesado no sentimento;
Amei além da imaginação.
Não teve um sequer momento
Que eu não tenha acertado na mão.

Fiz o bê-á-bá certinho,
O arroz com feijão;
Rezei conforme a cartilha
E para não perder-me na trilha,
Segui cada pedaço de pão.

Comecei como Homem de Lata:
‘Levei na lata’, fiquei em frangalho;
Nunca levei jeito para o Espantalho
Sobrou muita coragem para Leão.

Por causa da inspiração
Deixei de me acabrunhar num fosso;
Tornei-me de cerne, carne e osso
E fiz da poesia oração.

***   ***

NA VIOLÊNCIA DO FLUXO E DA FORÇA
(Inspirado no livro 'violência' de Žižek)

Nunca mais tive amor por ninguém; mas falo de amor mesmo – aquela paixão de amor: mão suada, pensamento obsessivo, viver sonhador em voos corriqueiros...  Quase um pesadelo bom, bom horror; por diversas pessoas tenho afeições inquietantes e derradeiras, tenho apegos, mil admirações, contemplações, tesões e besteiras... Mas não é amor. Não quero que pareça justificativa, querer ficar bem na fita, mostrar-me sempre feliz... Mas de que adianta fugir? Pois até a não justificativa existe, mas não condiz. Amor mesmo, de verdade, só tive um. Foi soberbo e sombrio, maltrapilho e massacrante... Amor de decepção abissal e humilhante: cadafalso – emudecendo-me os lábios – calafrio... tal qual aquele filho desgarrado, que passa a infância e a juventude contemplado, vendo ao espelho do mundo e do quarto, traços parecidos com seus pais: aquele jeito de olhar da sua mãe, os olhos, sorriso, o medo e o mudo, aquela grande aptidão por tudo. E no pai, vê aquele rigor com o vocábulo; aquela covinha proeminente no mento; as orelhas quase coladas no couro pelado; a altura, a forma do corpo, as sobrancelhas... E mais tarde, mais adulto, ao cair de uma tarde qualquer, descobre ser um filho adotado. Nada como um peixe após o outro... um anzol no meio... e nada bem. Depois dos percalços vividos ficam calos e vestígios. Carrego os ossos do ofício com mais cálcio e cuidado; cuidado, pois na minha vida não entre sem aviso! Já na estrada, na esteira estreita do caminho desconhecido, voo de encontro ao mar e a mim mesmo; mergulho nos mistérios de algo novo que na verdade é eco presumidamente vivido e esperado. Talvez absolvição, quiçá apenas passo à frente, colocando um tijolo na parede e milhões de batidas no coração. Chegou minha vez, é bom demais, é gratidão, é usufruto, é ‘usufarto’. No final das contas, quando acabar o espetáculo, as lonas forem recolhidas, o circo enfim desarmado, a mulher barbuda faz a barba, o mágico erra a mão em fim trágico, o elefante faz dieta e fica magro, o leão domesticado, o equilibrista inebriado com a garrafa de vodca no sovaco, o anão vira rei num seriado, o atirador de faca é esfaqueado; no final do espetáculo o único risonho é o Palhaço. Minha candura ‘cascuda’ e otimista persistiu e venceu uma possível misantropia metediça e movediça; pinto-me, perco-me e podo-me, moro em mim, mas costumo fugir de casa; tenho verve frenética em combustão instantânea... Sou um otimista sem utopia e um pessimista sem depressão. Lembro-me que olhei para ela e disse: - poderia amar-te mais do que tudo na minha vida... mas no momento seria uma enorme redundância.

André Anlub





ANDRÉ RICARDO DA SILVA
(Deficiente visual)
Taguatinga (DF) Brasil

AMANTE DA VIDA

Eu me lembro como era dividido
acreditando em qualquer coisa
E o amor disse  que nós dois
somos sonhadores jovens, amantes da vida.
Senti que você me salvara,
nós apenas seríamos juntos...
entreguei meu coração, apenas começarmos
viverei para sempre, esperando como a vida
Viverei para sempre, estarei
esperando eternamente como a vida
como se fosse para sempre.
Agora sempre procurando viver,
sem  me lembrar de cada palavra sussurrada,

o tocar de suas mãos enchendo de amor...
como a canção de amor acabei
de ouvir o que escondem dos olhos.
São apenas areias...
tempo  que não voltaremos
promessas feitas em cada memória
e em segundos, refletem a minha mente.
Manhã pós manhã serei sempre seu.

Viverei para sempre esperando você.
Esperarei para sempre
como a vida, como a eternidade
cada momento procurando pela vida;
mas estou sozinho, agora o que era um sonho,
sentimentos que foram falados,  nunca vividos
e o segredo está guardado em mim.
Até amanhã sempre eu viverei,
Para sempre eu estarei esperando
Como a vida, como a eternidade.

André Ricardo da Silva




ARMANDO SOUSA
Toronto Ontario Canada
23/2/2015


AMOR

Sentir amor de mãe é tão doce e tão suave
Sentir amor de esposa é um prazer intenso
Amor de filhos mesmo quem os tem sabe
Sentir amor à terra é saudade e pensamento

Passei e passo por todas estas sensações
É por todos que eu vivi e vivo e tanto anseio
Minha mãe tão longe estava; dor e emoções
A pátria troqueia; o destino o quis; eu creio

Errei; mãe desceu à terra fria sem um beijo
Troquei a Pátria...filhos choravam por pão
Também conhecer o mundo era meu desejo
Como castigo; vivo com um saudoso coração

A esposa sempre que posso a trago comigo
A pátria onde nasci visito-a; amor ardente
Filhos voaram; e amor e vida como castigo
Quero estar onde não estou constantemente

Errei ao roubar a pátria a três queridas filhas
Destino deu mais três noutro sítio do mundo
É a dificuldade que tenho com iguais partilhas
Coração esta cá; ora esta lá, em cada segundo

Não sei se fiz mal em partir; procurando pão
Não foi por mim; foi destino, o fado fadado
Imagem da esposa filhos chorar, dói coração
Chorarão? Voltarei ao chão? Serei queimado?

Armando Sousa



ANTONIO CABRAL FILHO
Brasil


QUANDO O AMOR PREVALECE

Só pra me conter
punha as mãos na cabeça
quando ela passava
em frente ao meu trabalho.

Já sofri lapsos,
troquei a senha do cartão,
esqueci a carteira no bar,
fiz horas extras sem querer,
tudo isso e muito mais
só pra vê-la passar.

Seu andar tiritante,
seu jogo de quadris,
aquele vestido branco
acabam com a minha paz.

Meu coração quase pára
quando ela entra na loja
querendo outra sandália,
mais uma "rasteirinha"
pra desfilar calafrios
pelas pistas do meu peito.

Seu pesinho é trinta e cinco
e primeiro lhe acaricio
segurando em seguida
ao calçar-lhe a sandália
e ao perguntar-me se gostei,

causou-me tantos gaguejos
que nos pomos a sorrir.
E agora perante ao padre
percebo o que é que acontece
"quando o amor prevalece".

Antonio Cabral Filho




ANTONIO PAIVA RODRIGUES
Fortaleza (CE) Brasil


AMOR PROFUNDO

Amáveis, cativantes, profundas e bem-vindas são as carícias de um amor fiel. Fazem transbordar os corações em autoestima. Homens nobres escolhem-nas por sendas divinas, no écran das alegrias que a vida nos destina. O amor é a força mais sutil do mundo, de quem ama e perdoa todos os pecados. Reforçando o coração com afeto profundo, dando-lhe belos impulsos emoldurados. A falta de amor é a maior das pobrezas, sem ele a fraqueza invade nosso coração. 
Na superação altiva vêm altas destrezas, sutilizando a nobreza do amor com paixão O homem transforma-se em torrões de brasas anilinas; renasce amizade, o amor ferrenho geração de clima inebriante de muque de mulheres ímpares sublima. O homem sofre ousa e luta pela amizade sadia. A amizade delineia o caminho o destino da alegria. Busca-se na Terra a harmonia e a reforma íntima, perfeitos e imperfeitos os homens não desatinam; salutares céleres de amizades burilam e brilham alvejantes, brilhantes, são sinais que balizam.  
Geniais, colossais, formosuras de vidas indefinidas. De harmonias do mundo material, as dinastias celinas. O amor dilacerante gera energia, transforma em usina, de frutos do amor dulcificantes formadores de vida. Do ato, do fato, da união dos corpos, corações que luziam. Arrefecendo o clima de união no cunho que a amizade unia.  Dois corpos ofegantes, sufocante de amor que fenecem a vida. 
Dois seres que da amizade ao amor carnal os fizeram felizes e uniram-se num só corpo espumante e abarrotado de extasia. Amar e ser amado são energias em profusão. De dois seres unidos pelos laços fieis do amor. De abraços e beijos fortes, desejo e sedução, na união de dois corpos ao êxtase redentor. O amor deve ser a essência da alma humana, através de meiguices, afagos que inundam. Qual essência que fortalece o corpo que emana, carícias, orgasmos e sensações que se aprofundam. 
Sempre almejamos sucessos, emolduramos felicidades, ano entra, ano sai ideais, desejos e esperanças. Sem guerras, sem fanatismos, mas com lirismo que enfatiza o vento soprando paz, num reino belo e encantado, numa tarde de primavera, aonde a passarada orquestra, a sinfonia da beleza, a tristeza que vai, alegria que fica. É nessa harmonia que o nosso amor se torna belo, encantado, suave, destemido, aguerrido onde predomina a beleza, a formosura de amor querido. 


Antonio Paiva Rodrigues






BENEDITA AZEVEDO
Praia do Anil – Brasil
22/01/2006

VEM AMOR!

Vem amor, na pureza do teu ser...
Deixa-me sentir outra vez o fogo
destes  teus olhos penetrantes e ver...
No desejo neles estampado o jogo
da sedução que buscavas ali.

Como setas certeiras buscaram os meus
Ao encontrar correspondência ris,
Finge indiferença e desvias os teus.
Dás voltas ao salão em outros braços
Disfarçadamente olhas para mim
Que hipnotizada sigo  teus passos.

No intervalo sumiste do salão...
De coração aflito te procuro
e sinto no ombro o toque da tua mão.
Saímos pelo salão a dançar...
E ao toque deste teu corpo no meu,
com milhões de neurônios a vibrar,
puxas-me e colas o meu rosto no teu.

Corações batucaram em descompasso...
E na química de dois corpos colados,
a música subordina nossos passos...
Casais param e nos deixam isolados.

Perdemos a noção de onde estávamos...
Em meio a um círculo que aplaudia,
dois corações solitários se encontravam,
e ali no salão um beijo nos unia.

Benedita Azevedo





CARLOS LEITE RIBEIRO
Portugal

O AMOR - Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro
(Para que te esqueças, quando eu esquecer de ti, que nunca me esquecerei...)


O Amor é um sentimento muito intenso, prendimento que engloba ternura e atração física entre duas pessoas, em seja: sentir amor por alguém. O conceito amor marcou profundamente a poesia trovadesca galego-portuguesa, e de modo muito particular as cantigas de amor. É ponto de partida do lirismo amoroso. Muitas pessoas acreditam que cada um constrói seu próprio amor verdadeiro, não existem padrões, existem as qualidades e exigências que fazem cada um feliz, de acordo com suas preferências e vontades.

Normalmente, consideram-se 3 grandes grupos de Amor: amor platônico, o amor fraternal, o amor incondicional.

Amor é um sentimento de carinho e demonstração de afeto que se desenvolve entre seres que possuem a capacidade de o demonstrar. 

Durante o Romantismo o amor passou a ser o fator essencial da própria vida; nenhum outro período histórico teve o amor tão presente na literatura; o amor, suas angústias - "a paixão sobrepondo a razão, a insatisfação com a vida, o prazer no sofrimento, o arrebatamento da imaginação e o desejo de morte" sempre foram retratados nas artes - contudo, foram incorporados ao cotidiano dos românticos do século XIX.

Os românticos constroem um melancólico e nostálgico mundo imaginário, e trazem como principais características um distanciamento da realidade social, experiência da perda e procura pelo que se perdeu; a poesia e o amor se tornam a própria vida.

Em autores como Álvares de Azevedo esse estado de espírito melancólico leva ao paradoxo de aproximar o amor com a morte, também uma característica dos românticos, patenteados nos dois últimos versos do poema "Amor" deste autor brasileiro:

"Quero viver um momento,
Morrer contigo de amor!"


O componente trágico do amor é então revelado: Eros se aproxima de Tanatos, a morte; o amor significa também sofrer; a dualidade se manifesta também na contradição entre a adoração e o prazer carnal; o romântico busca a plenitude dos sentimentos, quer ser possuído pelo amor e, não o conseguindo, experimenta o mais atroz sofrimento.
Para o Ocidente, o amor romântico passou a ser o "amor verdadeiro". Com isto selou de forma definitiva a rutura com a visão então dominante do cristianismo de que o amor servia à procriação, e manteve em seu legado conquistas como o fato de que todos têm liberdade de escolha de seu parceiro, e ainda o ideal de que para o amor não devem existir barreiras. Numa análise sociológica, Anthony Giddens pondera que o amor romântico teve dois impactos na situação feminina: serviu para colocar a mulher "no seu lugar" - o lar. Segundo o autor, por outro lado, o romantismo também estabeleceu um compromisso ao machismo da sociedade moderna, estabelecendo um vínculo emocional duradouro. Mas, o amor, dura enquanto dura...
Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

***   ***

Ai a juventude...  (conto verídico de Carlos Leite Ribeiro)

Na escola, combinei encontrar-me com ela no jardim Constantino. Mas naquele dia ela não pode ficar muito tempo pois, os pais tinham marcado um almoço com familiares... 
Entretanto, combinámos novo encontro com o "primeiro amor" (não me recordo o nome), na segunda-feira seguinte nos no mesmo jardim depois do almoço. Recordo-me com um sorriso nos lábios a ansiedade que tive em vê-la naquele domingo. Na segunda-feira, nem me apeteceu almoçar, tão excitado estava de estar com ela.
Na hora marcada, apareceu a moça, toda bonita, com uma flor nas tranças. Como nesse jardim havia um fotógrafo ambulante que conhecia a família, a moça convidou-me para ir para um jardim particular, na rua Passos Manuel e que separava uma fábrica de sabonetes de uma outra de lanifícios. Por sorte, o portão de um enorme muro estava aberto, e lá fomos sentar num banco, longe de olhares indiscretos.
Por favor, não estejam já a pensar em “coisas esquisitas”, pois, só fazíamos o que vocês faziam quando tinham onze ou doze anos… Aquele "grande amor", ainda durou uns dias, até que, a moça me disse que a mãe tinha-lhe “limpo” a cabeça e ter encontrado um piolho. Imaginem só eu aparecer com um piolho em casa! Toda a família queria saber aonde tinha apanhado o “parasita”. Nem pensar! 
E assim, acabou aquele grande e primeiro amor...



Carlos Leite Ribeiro





CARLOS LÚCIO
Brasil

AMOR ETERNO

Sem a pretensão de ser pregador castiço
Alerto para o andor quebradiço do sexo
Muitas vezes condutor de dor sem nexo
Eu canto o corpo horizonte de minha amada
Nele sei aonde posso ir ao longo da madrugada
Para me provocar ela apenas precisa se insinuar
Nós somos de um tempo à maneira antiga
A magia da sensualidade continua nossa amiga
Viemos bem antes da moda do experimentar
Do ficar com uma multidão em fria cama estreita
Para depois mergulhar em perfeita solidão
Às vezes curtimos o prazer de dormir juntinhos
Feito passarinhos a viver o calor dos ninhos
Recolhidos às penas e alegrias do amor eterno

Carlos Lúcio Gontijo






CARLOS SARAIVA
Brasil

VERSOS AO MEU AMOR

Dedico-me nestes versos ao amor
Submersos e vivos no calor de nós
A voz que aqui ouves não sou eu
Apenas um eco daquilo que é teu
A ti te pertenço doce e confinado
O que buscas em mim será assim
Enviado num beijo só e desejado
O nosso caminho é a nossa lagoa
Serena e com reflexos da tua voz
Escuna que nos balança sem abrigo
Apenas náufraga daquilo que te digo
Sonhada e pura nascente até à foz

mongiardimsaraiva
Carlos Saraiva



CÉLIA JARDIM
Belo horizonte (MG) - Brasil

A SUA INDIFERENÇA

Negaste-me qualquer atenção
ignorando os meus sentimentos
eu não queria a tua compaixão
ela feriria até o meu pensamento

Só não precisava ser tão frio
fazer de conta que não me notava
eu já estava acostumada com o vazio
mas a sua indiferença mais me esvaziava

Eu não escolhi amar você
nem pretendia amar ninguém
mas o coração não conhece os porquês
e o amor simplesmente vem

Hoje eu me sinto mais pobre que antes
dando amor a quem não sabe merecer
mesmo que eu não queira e fique distante
este coração bobo não sabe esquecer

Eu vou sofrer a minha dor calada
um dia eu me esvazio de você
sua lembrança será uma página arrancada
nem a sombra deste amor eu deixarei sobreviver

Porém não te desejo nenhum mal
nem que você experimente tais sensações
pois como a indiferença não tem igual
ela fere a alma, é a pior das humilhações

Célia Jardim






CLÉO REIS
Ribeirão Preto (SP) - Brasil

AMOR

Deixe-se encantar  por tudo
que é  Belo, meigo e doce

Veja tudo  com
o azul do céu  em seus olhos

Deixe derramar o amor,
transbordar  a Paz
Refletir no outro
a Luz do Criador

Deixe-se levar pelo Ideal  Cristão
Dê as mãos aos irmãos
do caminho

Fortaleça o  Trigal

Deixe as asas do Bem
plainar o mundo
edificando o Amor Universal.


Cléo Reis





CLEVANE PESSOA

A FORÇA DO AMOR

Olhos de seda entrelaçando fios
nos olhos de minha alma rota
pelos desgastes dos sonhos
intangíveis e desfeitos:
tramas puídas sem possibilidades
aparentes de remendos,
esgarçadas pela voracidade
de traças impiedosas...

Mas, fiandeiras de magias
as meninas de teus olhos
pacientemente são artesãs
da reesperança e recuperam
com luzes invisíveis
e canções inaudíveis,
minhas crenças no amanhã...

O amor sana, reentretece, salva...







DALTON LUIZ GANDIN
São José dos Pinhais (PR) - Brasil

AMOR CON-VIDA

Seria bom
fazer amor com você
se o amor
beijasse a liberdade.
Seria bom
fazer amor com você
se o amor
usasse a camisinha.
Seria bom
fazer amor com você
se o amor
tocasse a nossa nudez.
Seria bom
fazer amor com você
se o amor
fizesse amor na ca(l)ma.
seria bom
fazer amor com você
se o amor
voasse qual beija-flores.
Seria bom
fazer amor com você
se o amor
fosse o amor que con-vida.

Dalton Luiz Gandin





DONZÍLIA MARTINS
Portugal

O AMOR

O amor é a mais bela página branca aberta na alma do homem.
Sem amor não valia a pena a existência. Seria nula, vazia.
Todo o amor é uma estrela de luz, um cais de vidro com o qual temos de lidar com especial carinho para não o partir contra as pedras que continuamente lhe atiram.
Ama-me e faz o que quiseres- disse o Mestre.
Quem ama não maltrata, não agride, tudo perdoa, tudo compreende e tudo faz em santidade. No amor tudo é permitido porque ele é o maior amigo, é paz, é sabedoria, perdão, companhia, dádiva, mão, silencio, lágrima e está sempre vigilante para dar o ombro aos que choram.
O amor pode com o mundo às costas. O amor tem muita força dizia-me há pouco um amigo, pois ele tudo vence, tudo consegue, tudo AMA.
O amor salva, redime, eleva e é a coisa mais divina e sagrada que o ser humano pode desejar.
Há um só amor- o que nasce na alma. Aquele sentimento forte que nos faz felizes, nos acarinha, nos aquece o coração, nos afaga os sentidos, nos guia os passos no caminho do bem, aquela sensação de felicidade e bem-estar que sabe tão bem quando de olhos fechados olhamos para dentro de nós.
Contudo, ele se subdivide em pedaços de MÃE – (e, há lá amor maior que este maternal?) de filho, de esposa, de amigos que criam verdadeiros laços de amor familiar.
Muitos confundem amor com paixão. Quando dois jovens se amam, há qualquer coisa de fogo que os incendeia, que os liga, que os eleva juntos. Todavia a vida se encarrega de sacudir as pétalas das rosas, deixando apenas os espinhos. Se o amor for forte, vai-os arrancando um a um e, no seu lugar vão brotando botões floridos.
É este o verdadeiro amor, aquilo que fica depois que o lume apagou.
Amor também é dor, angústia, consumição quando vemos sofrer aqueles que amamos. É este o meu caso, mas continuo a amar… a amar…
Amor, cais divino onde sabe bem repousar. “Ama-me e faz o que quiseres”.


Com todo o amor para vós poetas e escritores do PORTAL CEN.

Donzília Martins





EDA CARNEIRO DA ROCHA
“Poeta Amor”
Brasil

MEU AMOR!

Meu Amor é tudo.
Calmo e compassivo,
Vive na espera do teu!
Não se altera
Não conhece a blasfêmia.
Só conhece a bondade.
Faz da verdade, sua companheira.
Sabe amar com exaltação,
não magoa, não mente,
não trapaceia, não ilude.
Meu Amor!
Ah! O Meu Amor!
Este amor que te devoto,
como minha vida querida.
Que espera horas, segundos, para te ouvir
e me chamar também de meu amor!
E somos o amor repartido em dois
que dá apenas um que somos nós,
na imensidão de nosso Amor!

Eda Carneiro da Rocha
“Poeta Amor”





ELIANA ELLINGER

O AMOR

Amor é a vida vivida,
triste, feliz, foragida...
É a luz que o destino ilumina,
é a força que há dentro de nós,
é o querer suave, profundo,
é o vôo de um grande albatroz...
Amor de quimeras certezas,
unindo entre dois as belezas
de serem apenas um só!
Amor que existe em meu peito,
- pois tu me fizestes sentir -
misturou prantos, saudades,
quando tive que partir,
sem nem saber se algum dia
fosse outra vez te encontrar,
para achar um caminho
eu passei a poetar!

***   ***

QUANTO CUSTA UM AMOR ?

Amor não tem preço.
Ele vem devagarinho,
toma logo seu lugar
e nunca mais vai embora,
pois amar nunca tem hora,
para em nós desabrochar.

Mas precisa ser assim:
Suave, puro, verdadeiro!
Tendo enchentes de paixão,
não será nem passageiro
nos despertando o vulcão!

Pode conter até saudade.
Sei, não é tão fácil curar...
Mas o que importa na verdade
é a riqueza, a grandeza,
pois amor não se compra, se dá!

Eliana  Ellinger





ELIANE ROSA DA SILVA

AMOR

Nas águas do mar,
Em dias de desencanto,
Te chamei amor
Te esperei por anos
Te chamei docê amor,

Águas rolaram quando,
Numa noite encantada,
Você surgiu amor,
Te amei naquele momento,
Um bilhete, telefone,
Numa tarde roubada,
O encontro,
Passei sentir o perfume do mundo,
Seu olhar, fascínio.
Amor que move todo meu corpo,
Tu és tudo que sonhei,
Mesmo tâo longe,
Se faz tão presente.

***   ***

AMOR PODE SER...

Amor pode ser,
correspondido...ou não,
Ame mesmo sem ser amado,
Sem ter a intensidade do seu amor,
Pode ser vivido... ou não,
Mas sentido em plenitude,
Agarre seu amor,
sinta-o como se fosse para sempre,
Ainda que seja por uma breve primavera,
Ainda que seja como o vento,
Que despenteia os seus cabelos,
mas que seja tórrido,
Não o peça para ficar,
também não tenha clemência se quiser partir,
mas que valha cada segundo de amor.

    Eliane Rosa da Silva




ELIZAETE RIBEIRO
Açailândia (MA) – Brasil


AGARRE O AMOR

Quando o amor chegar, não despreze a sua essência, ele pode apresentar de várias formas, cabe a você identificá-lo, o amor é essencial para a vida.

Nunca perca a sensibilidade dele, admire as flores, fale com elas, acaricie seu animal de estimação, dê bom dia ao dia, curta o vento, feche os olhos e abra os braços, ouça o som do rio, o canto dos pássaros, seja grata com o que Deus te deu.

Não reveja suas derrotas, lembre apenas do que te fez sorrir, filtre as amizades, curta a vida, ame, não troque o hoje pelo amanhã.

Delicie-se do percurso da viagem, cada detalhe guarde-os na memória, divida o sorriso, agradeça, abrace, ande devagar, corra quando for preciso, ande sobre os seus sonhos, valorize as coisas simples da vida, tudo que Deus criou é importante.

E nunca esqueça que Amor é fundamental para perdoar, recomeçar e esperar, ele é a base de tudo, nunca perca a sua essência, faça uma boa viagem, e nunca se esqueça das nossas risadas e dos bons momentos que já passamos juntas e agarre o amor, prenda-o a você onde quer que fores.

***   ***

UM AMOR FIEL


Ouvindo sobre o Amor de Deus, passou um filme na minha mente, e nesse mesmo filme passaram várias fases da minha caminhada... Nesta vida, percebi que em todos os momentos dela, o Senhor estava presente, vi que na caminhada Deus não se ausentou de mim, por nenhum momento se quer; Quando chorei, ele assistiu-me; E as vezes que me calei e me perdi no silêncio, Ele estava presente e secou minhas lágrimas, quando passei pelo vale, Ele passou comigo segurando minha mão, quando eu ri e alegrei, Ele riu comigo, entendi que o Senhor nunca me deixou sozinha.

Aprendi a desfrutar do amor de Deus, penso que toda pessoa necessita conhecer essa dádiva, o seu amor faz toda diferença em nossa caminhada.

O imenso Amor de Deus, Imensurável, excede o infinito, o coração do Homem e mente são incapazes de compreender, tamanho Amor... Conheci algumas pessoas que desfaleceram na caminhada e abriram mão deste direito de amor paternal e eterno, o direito dado a todos os homens, a todos, sem exceções.

Por isso devemos permanecer com nosso coração aquecido, senão o mau tempo nos roubará nos negado o direito de recorrermos ao imenso amor de Deus, Amor de um Pai cuidadoso e ciumento, de um Pai que tem prazer em livrar, abençoar e presentear seus filhos.
Como uma chama ardente
Um amor incondicional
Um Amor Fiel.

Um amor surpreendente Pois isso nunca desista de acreditar que o amor de Deus por você é maior que o universo, e maior do que a sua misericórdia. Não permita jamais que alguém te exclua desse amor, através de palavras, julgamento e apontar de dedos. O pecado só sairá vencedor se não entendermos o nosso lugar no coração de Deus.

Lembro-me que passei por momentos difíceis e confusos, muitas pessoas, até mesmo “amigos” tentaram anular o amor de Deus por mim, lançando-me palavras de morte, de maldição, fui julgada, abandonada por aqueles que diziam que me amavam... E até mesmo discriminada em algumas rodas de amizades. Para os dedos que me apontaram a aparência valia mais do que a pureza do meu coração,mais do que um coração quebrantado e contrito.

Até que alguém, cheio de amor eterno me abriu os olhos, trazendo à torna a luz da verdade, e meu coração aqueceu com essa verdade indelével, lembrei-me de todas as promessas do Criador, e de seu ato de amor para com a humanidade, e percebi que nenhuma sentença ou erro era capaz de anular as promessas dele na minha vida; entendi que cada dia eu teria que procurar o caminho da retidão e a verdade que liberta. 

Procurando deixar meu coração sempre aquecido com o Amor e Deus, um amor fiel.




FÁTIMA MOTA
Natal (RN) - Brasil

DE AMOR...

Serei do teu amor sonata sem atalhos
Na clave de sol acolherei teu pranto
Fazer da minha dor teu manto santo
Hei de cerzir com ardor os teus retalhos.

Serei pra ti seara de  amor galhardo
Desejo fiel a minha eterna flor de lis
Assenta’lma faceira em tons de  gris
Amar-te será então meu leve fardo.

Do meu amor hei de senti-lo inteiro
Porquanto o tempo há de sê-lo eterno
Não darei à solidão maus argumentos

Em nada desatento faço-me servo
Do teu corpo_ poema sem acanhamentos
Percebo nosso encanto  verdadeiro.

Fátima Mota
http://www.caestamosnos.org/autores/autores_f/Fatima_Mota.htm




FRANCISCO DE PAULA
(Deficiente visual)
Taguatinga (DF) Brasil

AMOR COM CUIDADO

Amor é semelhante a uma flor
É belo e perfumado
Mas pode trazer- nos uma surpresa
Se não tivermos cuidado...
Pode nos machucar
Arranhando com seus espinhos
A flor que antes era bela
Agora passa a murchar...
Seu perfume já não existe!
Assim é o amor
Também pode se acabar
Se não souber amar...
Amar é dedicar
Sem medida e sem limites
Ao próximo
Para a graça alcançar.

Francisco de Paula




GILBERTO NOGUEIRA DE OLIVEIRA
Nazaré (BA) – Brasil
 19/09/1974

ENCONTRO PACÍFICO

Percorrendo um mundo estranho e belo,
Onde tudo é calma e perfeição,
Encontrei meu verdadeiro EU
Que se havia perdido
Num labirinto côncavo,
Cheio de curvas convexas.

Percorri palmo a palmo
E, no fim de indeterminado tempo,
Lá estava ele. Lá estava eu.

Parecia não estar me esperando
Mas, me encontrei.

Numa atitude estranha,
Numa reação antinatural,
Lá estava ele,
Lá estava eu.

Senti o clímax da perfeição,
Que todo ser humano sente
Ao encontrar uma certa pessoa
Que lhe dê paz e amor,
Sendo que a pessoa procurada
É a mesma pessoa que o procura.

*** ***
 FILOSOFIA DO AMOR

Escrevo aqui neste papel as minhas palavras tristes,
Que talvez poucos leiam. Também não importa
Se ninguém ler as minhas poucas palavras.
          Eles ficariam amargurados.       
Elas não falariam nunca sobre amor.
O amor é um jogo no qual o homem
Pensa que faz o que quer,
E a mulher faz o que quer, mas
Mesmo assim, deseja que seja assim.
O amor é um jogo no qual o homem
Pensa que ama quem quer,
Enquanto a mulher ama quem quer.
O amor é um jogo abstrato
Onde o homem pensa que manda,
E a mulher pensa que obedece.
Onde o homem cansa,
Cansando a mulher que descansa.
O amor também é um jogo de caricias
Onde quem sabe mais, recebe menos.
A carícia é o principio da razão do amor.
Aquele que não tem amor,
Pede aos outros que não tenham.
E, se não quer pedir, apenas deseja.
Isto é um mal para o amor
Isto é o amor pelo mal.

Gilberto Nogueira de Oliveira
http://www.caestamosnos.org/autores/autores_g/Gilberto_Nogueira_de_Oliveira.htm





GENHA AUGA
Brasil

AMOR

Sentimento sublime e encantador.
Um calor que te envolve,
Ao ver quem invade tua alma.
Sem explicação o coração pula,
As pernas tremem, os olhos brilham!

Sentimento que estonteia,
Faz-te sorrir todo dia.
O pensamento é único,
Na mente só cabe um nome,
Um rosto, um ser.
A vida tem um sentido maior,
Tudo tem cheiro de flor.
Assim é o amor.

Mas quem disse que essa chama
Acesa no coração,
Um dia não queima, machuca?
Então vem a dúvida...

E o sentimento bom vira dor,
Entristece o espírito feliz,
O coração endurece, os olhos choram,
A boca cala.
No pensamento pairam dor e raiva.
Isso se chama mágoa,
A chama se apaga.
Tudo cheira morte – é o fim!
Vem de novo a dúvida...

Nessa incerteza, não permita,
Que seu coração sofra em nome do amor.
Amar não é um ato de felicidade?
Então, não justifica sofrer!
Esvazie-se desse sentimento de dor
Que chamam também de amor!

Genha Auga
Jornalista/Escritora – MTB: 15320





GERCI OLIVEIRA GODOY
Porto Alegre - Brasil

POEMA DE AMOR

Teu peito morno acolhe meu querer
tuas mãos povoam meus desejos
respiro teus segredos sussurrados
transgressora que sou de teus enredos
me faço mar, me entrego aos teus caprichos
qual onda adormecida embebida de luz
viajas em meu corpo qual pássaro migrante
explodindo estrelas de cristal

Gerci Oliveira Godoy





GLADIS LACERDA

A COLCHA AZUL

Aquela colcha azul na minha cama
já foi cenário para lindas performances
com dois atores sem platéia.
A sala - o camarim
com roupas espalhadas pelo chão
e ali o início delicioso
daquele amor gostoso
por toda a madrugada
somente interrompido na alvorada
quando os corpos caíam para os lados
cansados para dormir.
E a colcha dobrada
num canto do armário
- desmanchando o cenário -
ficava a sorrir

Gladis Lacerda





HELENITA RABELO DUARTE
Brasil

AMOR...
          
O amor é um sentimento nobre ora simples ora complexo,
Eu sei disso, porque amando eu vejo tudo maravilhoso,
Um lindo amor, é único, é amável, ele é envolvente, ele,
O amor nos abraça em todos os lugares e tempos de amor...

E achamos isso o máximo e nos comunicamos com a
Linguagem do amor, a frase dos corações enamorados;
Cada um ao seu modo se ser usa a língua secreta de amor...
Adotamos o verbo amar simples assim aí nós amamos...

E o simples amor é o nosso código de amor há tudo...
E se me perguntarem: a senha e o login de um amor?
Direi em certezas: é amar, simplesmente amar, amor...

Tenho certeza, o amor ele nasce de gestos de amor...
Simples, na essência das trocas de carinhos...
De uma amizade de amor...
De gestos de solidariedades...
Dos gestos mais simples entre irmãos:
De um olá, de um bom dia, de uma palavra amiga de amor...

O amor é universal, ele o amor, ele é visto, sentido, observado:
Ao seu modo, ao seu tempo, a sua paisagem de amor ao todo...
Ele o amor representa as variedades linguísticas de amar, envolve
Gerações resiste ao tempo passado presente além de seu tempo...

O amor ele é expresso por gestos de amor que falam de amor
Por todos os dialéticos amar o mais simples, o mais complexo,
De todos os sentimentos o mais nobre dos sentimentos, a expressão
Mais bonita de um amor: Amor, simplesmente amor, simplesmente amar...

Helenita Rabelo Duarte
(Coautora: Giliana Zeferino Leal Mendes)





HILDA PERSIANI
Curitiba - Brasil
 26/05/2008

AH, O AMOR!

Ah, o Amor! Misterioso Amor!
Nunca está onde o procuramos...
Quando menos se espera, o encontramos
E da nossa vontade, torna-se  senhor.

Tem seus caprichos, acontece,
O Amor não tem definição,
Toma de arroubo nosso coração
E do nosso ser, a mente entorpece.

O Amor é lindo quando é verdadeiro!
Também fui jovem e também amei,
Troquei juras de amor e também sonhei...

Hoje vivo a recordar meu companheiro,
“Até que a morte nos separe”:- juramos,
Ela chegou... Então, nos separamos!...

Hilda Persiani






IZABEL ERI CAMARGO

AMOR

Nasce uma flor
com o nome de amor
faz a vida viver
prolonga o amanhecer
caminha com leveza
transforma tudo em beleza
o sentimento de afeto
do moço escultor
da moça elegante
muda a consciência
desperta os viventes
para a história vivida
é o amor
a chave da vida!

Izabel Eri Camargo






ISABEL C S VARGAS
Pelotas (RS) Brasil

A VOZ DO AMOR ATRAVÉS DA ARTE

O Amor é um dos importantes combustíveis que move o mundo. Todos amam de alguma forma. O amor entre dois seres pode não ser correspondido, mas o amor existe e paralelo ao sofrimento existe uma sensação boa de ser capaz de sentir algo tão profundo.
O amor pela sua importância é cantado em prosa e verso na literatura, na pintura, na música, no cinema, teatro pelo mundo afora, em todos os tempos. Quem não ouviu falar nas histórias de amor descrita na Ilíada de Homero (escritor da Grécia antiga)? A
A história de Helena de Tróia e a guerra que por ela se travou fazem parte das lendas gregas, combinando fatos e ficção. Isso ocorreu no século XIII a.C e ela é considerada uma das mulheres mais belas da literatura.
Outra história de amor da história universal é entre Cleópatra VII “Faraó” do Egito e Marco Antônio de Roma, ocorrido no século 3O a.C, ano da morte de Cleópatra.
Citamos, ainda, a história de Robin dos Bosques e Lady Marion
 Robin dos Bosques roubava aos ricos para dar aos pobres. O seu grande amor era Marion, história famosa com o nome de Robin Hood; Romeu e Julieta de Shakespeare,
 filhos de duas famílias rivais, Romeu e Julieta apaixonam-se perdidamente; Sherazade e o rei Shahryar. Decidida a não morrer às mãos do rei, começou uma emocionante história, a das Mil e uma noites. Todas são famosas na literatura, no cinema, no teatro, mundo à fora.
Gostaria de citar algumas famosas músicas de amor mundialmente conhecidas, My Girl do conjunto Temptations, Sometings dos Beatles, ambas da década de sessenta, Love of my life do Queen, Love is All cantada por Malcolm Roberts, When a man loves a woman de Michel Bolton, Al di lá cantada por Connie Francis.
Entre as músicas brasileiras gostaria de lembrar as famosas músicas Eu sei que vou te amar de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, Garota de Ipanema de Vinícius, Outra vez de Roberto Carlos, Estou apaixonado de João Paulo e Daniel, Exagerado de Cazuza, Mariza Monte com Rosa, Elis Regina com Fascinação, Roberto Carlos com Como é grande meu amor por você e muitas outras que poderíamos citar aqui para provar que o amor tem uma voz muito contundente nas artes e que através da sensibilidade e competência dos artistas de várias áreas, inclusive dos pintores.
Saliento a importância do amor que ele mesmo não correspondido, traído, sufocado é tema de arte, Todo amor tem voz. E queiram ou não todas elas são compreendidas, e muitas vezes, em vários idiomas. A linguagem do amor é universal.

*** ***

UM AMOR PARA A ETERNIDADE

Comunhão de almas identificadas
Sem necessidade de aval ou fiança.
O olhar garante de imediato
A sintonia vibrante que os une.

Sem imaginar o mal ou ardil
Entregam-se, amam-se, intensamente.
Amor de romance, laços indestrutíveis
Cegos de paixão e ardor dantescos.

Entrega imediata apadrinhada pelos astros
Consumada no fogo ardente do sentimento
Inominado e indestrutível pelo homem
Pois transcende ao físico, identificação sobrenatural.

Pobres amantes crédulos e enganados
Acreditaram-se acima de toda maldade
Só queriam o amor eterno almejado, vivido
Consumado, irrenunciável, infinito.

Inveja cega e desmedida capaz de horrores
Eternizou o ódio em ato amaldiçoado
Para quem o pratica sob os auspícios demoníacos.

Para todo sempre permaneceram amando-se
A eternidade os elevou ao céu celestial
Onde prevalecerá a união espiritual e o amor.

Isabel C S Vargas





IVONE BOECHAT
Niterói - Brasil

AMOR MADURO

O amor tem visão reciclada
das experiências da vida,
olhar maduro,
garantido pela estrada
nas subidas e descidas!
Amor é luz,
refletida de imagens superiores;
imã que faz tudo se aderir
nos embates e rebates,
na direção dos amores.
Amor não tem definição,
não se prova,
não se reconhece,
não se oferece,
não é paixão.
Amor é amar:
dar,
partir
ou
ficar.
Amar é viver,
morrer em paz,
não é nada disto,
é tudo isto e muito mais.

Ivone Boechat




IRAÍ VERDAN
Piabetá - Brasil
07 de dezembro de 1986.

AMOR

Lampejos de ternuras
Invadem o meu ser,
Quando vejo nos teus olhos
A loucura de me querer...

Nosso amor é um doce pecado!
Que perdeu as vestes do medo
E se vestiu só de certezas
Pra não ser um amor errado...

Fez-nos felizes!
Nos momentos... Possíveis,
Eternos amantes...
Inesquecíveis!

Livrou-nos das nossas culpas
E assumiu toda a dor,
Para ser entre os “amores”
Apenas amor, amor e amor!

 (Do Livro Flores e Orvalho, autoria de Iraí Verdan. 
Publicação em 2011(RJ) pela H.P.Comunicação Editora).






JACÓ FILHO
Brasil

"AMOR E CASTIGO"

Tive-a nos braços, mas não reconheci,
Tantas mais vieram e você não voltou...
Matam-me certezas, que a vida negou,
Mais uma chance depois que lhe perdi...

Apenas em sonhos, provei desse amor,
Sobrando remorsos por não ter sabido,
Que fora seu eleito, pelo céu escolhido...
O tempo não volta e outro a desposou...

Vejo belas crianças, e nelas, seu rosto...
Dão cor ao jardim, as flores preferidas,
De pessoas outras, jamais pretendidas...

Sinto-me um fraco num castigo, posto...
Resta-me esperar que em outras vidas,
Nosso amor possa curar tantas feridas...

Jacó Filho






JANETE SALES DANY

UNIVERSO REPLETO DE BELEZA

Amor em tudo; amor natureza!
Neste universo repleto de beleza
O cheiro da chuva molhando a terra
A vida pede paz; não pede guerra!

O amor está no brilho das estrelas
Não está só no beijo das novelas
Está num caminho cheio de flores
Está no colorido das cores

O amor não é mesquinho
Está onde o pássaro faz o ninho
Ele habita a terra inteira
Ele é à força das águas na cachoeira

Nunca maldiga que está sozinho!
É deixar de ver a natureza no caminho
É andar na trilha do egoísmo
É ir de olhos abertos para o abismo!

Não há solidão neste mundo de amor
Porque Deus fez o desabrochar da flor?
Para te dizer que Ele está em tudo
E você faz parte deste conteúdo!

Cuide de você com todo zelo
Você é único não há outro modelo
Ame cada parte do seu próprio ser
Mostre que fez por merecer!

Janete Sales Dany







JANSKE NIEMANN

O QUE AMO EM VOCÊ

Não é só a voz nem só o  olhar
nem suas mãos;
não é só o seu rosto
nem o seu sorriso.

O que amo em você
não é só o instante da chegada
nem os gestos;
não é só aquela expressão
de tristeza em seus olhos.

O que eu amo?
Eu amo tudo em você!

Janske Niemann 




JORGE LINHAÇA

SONETO DO AMOR ADORMECIDO

O nosso leito desfeito no tempo
Ainda guarda teu raro perfume
Hoje disperso; tão longe do lume
Cheira saudade a todo momento

Foi-se no vento meu contentamento
Culpo o destino? Apenas queixumes.
Aonde o amor? Detrás dum tapume?
Aonde a paixão? Cruel contratempo.

Sonhos de verão, nas noites vazias
Reminiscências do não permitido
Fez o destino mil estripulias

Gerou o medo e a indecisão
Hoje o perfume, no ar diluído
Cerra os ouvidos à voz da paixão.





JOSÉ ERNESTO FERRARESSO
Serra Negra (SP) Brasil

AMOR-PAIXÃO-FASCINAÇÃ0

Eterno e sempre durável
quando for compartilhado.
Amor que é imutável
difícil de ser evitado.

Sentimento profundo
provoca sensação de desejos.
Envolve nossos libidos,
conquista e resulta paixão.

Com gritos de amor e volúpia
que ecoam de nosso coração.
Torna-nos escravos do momento
sensação de furor e erupção.

Loucuras que nos levam ao delírio
sem desistir... sem hesitar.
Ato inexplicável e irresistível
fascínio que nos leva a amar.

José Ernesto Ferraresso

( navegador internet explorer)





JOSÉ HILTON ROSA
Brasil

AMOR

Do estribo não arredo pé
Sozinho ou enamorado
Dou amor tenho a fé
No trabalho sou amado

Amor nasce na alma
Cresce com a simpatia
Com amor tenho calma
Exemplos veio da dinastia

José Hilton Rosa





JOSÉ LUIZ DA LUZ
Brasil

É AMOR

É amor! ... Desde a atração da Terra à lua,
ao impulso do homem à mulher amada.
Desde o hausto de Deus que no éter flutua.
É amor! ... Dos mundos, a fonte enleada.

Penetrante às sendas do desconhecido,
aos pés da cruz, da utopia ou do real.
O amor, é luz de todo ente concebido,
luzindo no âmago, de modo imortal.

Meu Deus! ... Criaste assim tua criatura,
fizeste o humano de lodo à tua imagem.
Para amar, entre a liça, à tua feitura,
o rei da criação, de leda roupagem.

Foi o amor que fez os apóstolos sábios,
morrerem à prova da imortalidade.
Sob torturas, não cerraram os lábios!
Sangue fervente do ardor da caridade.

Foi o amor que fez os mártires trementes,
nas prisões dos Césares verterem sangue.
Consolando-se à luz dos anjos clementes,
morriam para a luz, com corpos ao mangue.

Foi o amor que fez a agonia da cruz,
tornar-se um egrégio bálsamo às nações.
Ecoando nos séculos sua luz,
qual hino triunfal para os corações.

Deus é amor! ... A melhor definição,
acerca do Pai criador do infinito.
Ser amor, na essência, por revelação.
Nos universos, é o fluido mais bendito.

A vontade regra tudo, exceto o amor.
Porque do Espírito de Deus ele nasce.
No sagrado coração em resplendor,
um fogo ardente, de doação e enlace.

José Luiz da Luz





JUÇARA MEDEIROS LASMAR
Belo Horizonte (MG) – Brasil

MEU AMOR

Esse amor que tenho
que arrebatou meu coração
começou com amizade,
carinho
confidências...
É um amor maduro
que sabe o que quer
um amor inteiro
homem mulher
sem cobranças
nem desconfianças...
Um amor que crê
nele mesmo
amor que completa
apaixona
num turbilhão
que traz paz
supera problemas
compartilha alegrias
amor verdadeiro
companheiro
de todos os meus dias.


***

COMPANHEIRO

Na madrugada fria viro na cama
procuro você debaixo das cobertas
para me aquecer.

Um vazio imenso se apossa de mim
percebendo sua ausência.

A cama ficou enorme
sem sua presença.

Me sinto desamparada
a saudade invade meu ser.

Revivo nossos momentos
compartilhados
desde que te conheci
meu companheiro
de confidências
de alegria
tristeza
prazer
até de raiva
algumas vezes.

Como dói sua ausência
nessa madrugada fria
debaixo das cobertas
desta imensa cama.

Embalada pela saudade
tento dormir
para apressar a chegada do dia
e com ele você
ausente por uma noite
que parece eterna.

Juçara Medeiros Lasmar





LENA FERREIRA

ANTES QUE A NOITE ADORMEÇA 

Antes que a noite adormeça, intuo,
virás quieto e assaltarás o meu sono
esse mesmo que bebi com os olhos
das esperas secretas, sensíveis, cordatas,
fragmentadas por um espelho distante
aromado por fragrâncias sutis e seguras
pigmentado em textura de suave anis

E, debruçado na varanda destes seios,
aspirarás todos os versos que te fiz
e resguardei debaixo dos desassossegos
por entre as notas do que ficou por dizer

E, alimentado tenra, intensa e fartamente,
descansarás esses teus lábios nesta sede
que os beberá com a mesma calma imprevista
- e a mesmíssima urgência propícia -
desses deságues que engravidariam nuvens
não fosse o vento das vontades que as dissipam

Antes que a noite adormeça, intuo,
virás quieto e assaltarás o meu sono...
...e devolverás o meu sonho.

Lena Ferreira 




LEOMÁRIA MENDES SOBRINHO

TERRAS

Queria estar
em seus braços nús
para limpar a sua alma
com as minhas mãos
viajar esse mapa humano
para descobrir a sua diferença
onde a distância é imensa
e a minha pressa em seu corpo se acalma

são caminhos de muitos vãos
onde a direção não há engano
pois somente o coração conduz
queria mapear as terras do seu corpo quente

conquistar-lhe com o meu sangue ardente
completar o cicla vida
até desfalecer exaurida
permanecer para sempre em exaustão

cultivar como um freguês o seu chão
queria conquistar as suas terras escondidas
e guardá-las em mim
postar sensações, em fim...

Leomária Mendes Sobrinho





LUIZ POETA

QUANDO ABENÇOAS MEU AMOR COM A FANTASIA
especialmente para a antologia do Portal CEN,
com o melhor dos meus afetos fraternais.

O teu desejo de um tempo de alegria
Torna a utopia que me dou desnecessária
Pois minha alma já não é tão solitária.
Quando abençoas meu amor com a fantasia.

Vislumbro a estrada que já não é tão sombria
E a ousadia me transforma em passarinho
Que usa palavras para a maciez do ninho,
Quando voar é muito mais do que eu queria.

Poeta é pássaro que veste os abandonos
Com sentimentos que passeiam pelos sonos
Que ele tem, quando a poesia quer sonhar

Pois da  palavra abençoada  que recebe,
Cada o poeta faz do néctar que bebe,
O sentimento fraternal que ensina a amar.

Luiz Poeta- Luiz Gilberto de Barros





LÚCIO REIS
Belém do Pará - Brasil

AMOR

As relações caminham estranhas, virais
Deveras esquisitas e até mesmo patéticas
Sera! Parece que o amor sofre mutações diárias
Tornando-se manchetes indesejadas em jornais

Abraçar e de mãos dadas com tranquilidade passear
Numa tarde de domingo ou em noite de luar
Hoje é apenas roteiro em alguma mente a divagar
Ou sonhando com algum momento em outro lugar

O verbo amar sai de cena a cada dia
Não há sua conjugação no cantar com alegria
A emoção vem dos anúncios que falam de ódio, de guerra
Alastrada pelo ar e derretendo a terra

Decaptam o humano sem piedade
E desse horrendo crime, é verdade
Fazem a propaganda natural para o mundo
Como que a vida, de uma fossa seja o fundo

No festim da estupidez a cabeça é o troféu
Em nome de uma escritura com intrigante véu
Que da face cobre a musculatura fria
No usar o fio da lâmina sem dó e com euforia

As flores, o amor e as constelações
Ainda aí estão, olhemos a vida, observemos o firmamento
Nas mesmas estações, com suas emoções
É possível, por certo mudarmos cada comportamento

Por certo, o amor não vai desaparecer
Para sempre, sem dúvida, vai viver
No momento segue a tudo a observar
Logo mais das cinzas vai se erguer, se levantar

Pois o amor é o jardim florido da vida
Sua festa, seu doce aroma e fogo de artifício no olhar
O amor é a magia da vida na satisfação da lida
O amor é o best seller do romântico namorar

O amor sem dúvida é o sol do romance
O amor é a pétala da linda flor sem nuance
Alegria na vitória e o bálsamo na tristeza da lágrima
Ternura e paz da apaixonada alma

Lúcio Reis





LUZIA STELLA D. C. DE SOUZA E MELLO
Ribeirão Preto (SP) - Brasil

CANTO DE AMOR

Noite após noite eu te esperei, sonhando...
No despertar da minha juventude...
Nas coisas que aprendia estudando...
Nas coisas que pensei na quietude...

Noite após noite eu te sonhei, pensando...
Fantasiando o que desconhecia...
Nas coisas da vida... Sempre esperando...
Guardando versos e minha alegria...

Noite após noite eu te pensei, amando...
Ao encontrar-te o olhar bem preso ao meu,
Dizendo aquilo que vivi sonhando...
Foi meu sonho de amor que aconteceu...

Contos de fada, oh, eu não sei ao certo...
Um grande amor estava acontecendo...
E nos encontramos nesse mundo incerto...
Noite após noite eu te amei, vivendo!...

***  ***

DECLARAÇÃO DE AMOR
LUA E SOL

A minha alma beija tão de mansinho a tua alma sem que mesmo te apercebas...
E leva a ti, com todo o meu carinho, sobras do sonho que se avolumou,
Gotas da aurora que nos transbordou no tempo, que vai longe no caminho!
Que momento sublime ao nos cruzarmos!...
Final de tarde morna, lá na serra... Eu surgi diáfana, branca e bela,
Tendo as estrelas nos longos cabelos!
Tu te exultaste ao me ver tão simples! Enrubesceste afogueando o céu...
E, ao te ver, meu rosto avermelhado, nós refletimos como enamorados,
As duas faces dos grandes amores! Comigo vinha a paz dos sonhadores!...
E formamos, então, nesse momento, um grande laço envolvendo o mundo,
Como a cingir num entrelaçamento, início e fim, razão e sentimento...
Missão maior movendo a nossa vida... Lição igual, também, nos separando...
E, desde então, chegas bem cedo para me ver partir... Estou desperta quando vais dormir...
Sempre alternados são nossos momentos!
Umas vezes, nós dois mais fulgurantes. .Outras vezes, mais tristes, apagados...
E, então, o céu derrama nossa lágrima, deixando a vida toda acinzentada!...
Muitas vezes vaguei pelos espaços, iluminando os rios, devassando a mata!
Buscando a aurora após um céu de prata!
Tremi de frio num imenso vazio ao ver as folhas tapetarem o chão...
Mas, sempre volto dentro de um clarão!
Ora plena de luz, ora tremente, buscando as tardes densas, coloridas,
Mostrar-me a face mais forte da vida,
Encher de luz o mundo e o coração!...

Luzia Stella D. C. de Souza e Mello






MAURICIO DUARTE (DIVYAM ANURAGI)
São Gonçalo (RJ) Brasil

MAGIA DE AMOR

Por tanto amor ter,
acabei me envolvendo
no manto do querer.
Mas nos trouxe separação,
nada, assim, resolvendo...

Portanto, amor ter
disso, de estar junto,
todo amor deve ter,
mas não venha dizer
que isso é ir fundo...

Por tanto amor ter
colocado naquele nosso;
esqueci de entardecer
por nós e deixar para ti,
um amanhecer colosso...

Portanto amor, ter
querer não é garantia
de continuar a ser,
nem de estar amando.
E menos ainda de magia...

(Poema originalmente publicado na página da Academia de Letras Virtual
 do Grupo Poético Intenção e Gestos).

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)





MÁRCIA SANCHEZ LUZ

O AMOR NO SONHO

O amor é tão perfeito quando durmo,
que mal me dá vontade de acordar!
Mas não tem jeito – o dia vem soturno
e o sonho acaba. É duro acreditar.

O amor no sonho é como o deus Saturno,
num farto, afoito e intenso festejar;
o adeus ao laço – algoz e taciturno –
que avilta, agride e evita o libertar.

O amor de sonho é sempre um aconchego;
permite ao colibri (que não descansa)
um beijo à flor que finge desapego.

Amor assim é sábado constante;
acalma o que guardado a dor alcança
e afasta a realidade lancinante.
  
*** ***

LUA NEGRA

Amo demais que até ferida brota
na cálida, escondida lua negra
dos meus delírios (dor que desintegra
calma desnuda em chuva de gaivota).

Os olhos choram mares, geram grotas,
fabricam densa nuvem que se integra
ao corpo equivocado pela entrega
sofrida num adeus desfeito em gotas.

Amo demais, eu sei, mas o que faço
se de outro jeito não conheço o amor?
A minha sina é nunca combater

o que me atrai e gera descompasso.
Se por um lado existe o dissabor,
tenho da vida a flor que vi nascer.

© Márcia Sanchez Luz






MARCUS RIOS

AH!...POETA DO AMOR...

Ah!...Poeta do Amor...
Como é bom quando
O amor começa a
Florescer dentro do
Coração e nos faz
Flutuar com esta
Nova descoberta dentro
De nossa alma que é o amor.

O amor nos faz bem
Por inteiro e quando
Mais amamos nesta vida,
Queremos muito mais amor
Para que possamos sentir
Apenas o momento mágico
Deste lindo amor que
Estamos vivendo e vivenciando.

Nunca devemos fugir desta
Magia que é amar,
Pois a cada dia de nossa vida,
Momentos lindos fazem com
Que sintamos o perfume que
Paira no ar do mais lindo amor.

O amor nos inspira,
Encanta-nos,
Abraça-nos,
Faz-nos um carinho
E quando mais precisamos
Lá esta o amor para-nos
Aquecer e mostrar o verdadeiro
Caminho da felicidade.

Por isto sempre serei
O poeta do amor que
Vai com seus versos,
Emanando o amor
Que muitos corações
Precisam para poder
Sentir e sobreviver
Com este amor que
Ainda falta em sua vida.

Marcus Rios






MARÇAL FILHO
Itabira (MG) - Brasil


AMOR DE AMOR

Temos sempre a tez lilás do nosso ocaso,
numa chama tão fugaz a nos queimar;
e quando o nosso anoitecer vem de mansinho,
espero ter o seu carinho pra sonhar.

E tudo então vem no beijo de ternura
pra que a candura do sorriso seja eterna;
e sendo assim, o nosso eu é infinito,
canto bonito no brilhar da primavera.

Nossas cores são desenhos do amor,
nossos toques emoções de bem querer,
nosso amor nos completa dia a dia,
no real sentido que buscamos pra viver.

***   ***

PEQUENINA PERCEPÇÃO DO AMOR

O amor não tem bússola de precisão
mas navega mares desconhecidos
e encontra seu destino.
O amor não questiona razões, não é juiz,
mas advoga questões e vence.

O amor não aprisiona ninguém,
mas, se quiser, se deixa aprisionar
e ri dessa prisão.
O amor é fonte inesgotável de sabedoria
e se perde totalmente entre desejos.

O amor é brisa em tempestade
vulcão afetuoso e brilha,
é paz em profusão e queima,
o amor define tudo
e não pode ser definido.

O amor é lúcido em altivez e nunca teme nada,
porém é o mais temido.
O amor vence a tudo e a todos e não impõe ninguém,
é tudo de melhor e ainda que o pior fique embravecido,
pelo amor, sempre será vencido.

O amor é canto de paz na trincheira do inimigo
e quando o desesperado achar tudo perdido,
por certo encontrará no seio do amor, o colo mais querido!


Marçal Filho





MARIO REZENDE

AMADA

Quando, à noite, olho para o céu,
és uma constelação.
Se observo as nuvens,
te vejo em formação.
Como uma luz,
reinas em minhas noites.
És personagem principal
na encenação dos meus sonhos.
Te vejo no sol, na chuva, nas trevas.
És a alegria dos meus pensamentos,
o objeto da minha querença,
o destino da minha esperança.
Basta um olhar para dentro
e te encontro,
bem amada,
no meu coração. 

***  ***

AMOR SEM FIM

A mulher que eu amo
é como uma flor:
linda,impecável,
a mais bela em todos os jardins.
Balançando, absoluta, ao vento,
vive acenando para mim,
perfumando e premiando
por simplesmente existir.
Além da metáfora,
a mulher que eu amo
é tudo que eu quero ter.
Para mim é perfeita,
como pintam os meus olhos.
Eu sei que me quer,
assim como a quero também.
Longe ou perto, está sempre presente
e seus carinhos sempre dizem
o que sente por mim.
Pela mulher da minha vida
o meu amor transcende o fim.

Mario Rezende





MARINA MOREIRA PEREIRA


A  LINGUAGEM  DO  AMOR

A linguagem do amor é universal.
Com ela nunca se estará sozinho.
A comunicação é natural...
Na sua fala ponha amor e carinho.

É a linguagem do coloquial,
será ouvida ao longo do caminho.
Assim fez Jesus de modo especial,
penetrou nos recônditos escaninhos,

alcançando as camadas populares,
falando com coerência e harmonia,
distribuindo amor e alegria,

juntamente com eflúvios salutares,
dispensando outras formas de expressão,
de alma a alma fez a ligação.


***   ***

O  AMOR

O amor é energia verdadeira...
É como sentir Deus dentro de si.
Permita-se deixar o amor fluir,
você pode senti-lo a vida inteira.

Com o amor o medo não vai existir,
será banido de qualquer maneira
por uma força amiga e conselheira,
que internamente vai interagir.

Com o amor fica mais fácil o perdão,
culpa e rancor já não existem mais,
sentimentos deixados para trás...

Procura manter limpo o coração,
Também começa agir corretamente
e então sinta o amor sempre presente!

Marina Moreira Pereira




MORA ALVES
Brasil

AMOR PLATÔNICO

Um amor que não se teve
Talvez o destino assim o quis.
Triste e solitário
Um caminhar quase desconhecido

Passos largos que se afastam a
Cada instante, refúgio secreto
Um coração partido, partido
Como o tempo que se divide

Vagas lembranças, de um sonho que não
Se realizou, apenas sentiu o leve
Toque de um beijo será que o amor é assim?
As horas breves, porém intensas
Momentos que pareciam durar uma eternidade
Em apenas alguns segundos a felicidade de um olhar.

Mora Alves




MOYSÉS BARBOSA
 30/01/2016

FAÇA ASSIM...

Quando estiver dormindo...
Beijando quem você ama...
S’esforce pra acordar,
levante, saia da cama

Poderá assim fazer,
ao vivo, bem acordado,
aquilo que era sonho,
virar fato consumado.

Se o amor de vocês,
viveu dias claudicantes.
Voltará a ficar firme,
e ser como era antes.

E assim será mil flores,
de perfume inebriante.
Também muito precioso,
como’o puro diamante!

Será um nó sem desate,
para sempre amarrado.
Dois corpos serão um só
pelo’amor eternizado!

Dom Moysés Barbosa





MARIA BEATRIZ SILVA
Laje do Muiaé (RJ) - Brasil

O AMOR EM QUATRO ESTAÇÕES
Quero uma vida assim com você
A cada estação o amor florescer
Acendendo, renovando
Em terna magia
Nos seus braços a cada dia

Acorda-me... Desfolha-me
Nas noites de outono
Quero ser sua eterna amada
As plumas que o vento leva
A cada sonho seu
Sua estrela, sua lua
Seu mar, seu céu

Um brinde ao amor por todo tempo
Repleto de sentimento
Te amando a todo o momento

Aqueça-me, nas noites de inverno
Bem juntinho do seu peito
Quero ouvir com emoção
As batidas de seu coração

Me dê um amor a cada momento
De estação em estação me envolvendo
O ano inteiro me amando

Perfuma-me, nas manhãs de primavera
Inebriando-me com seu cheiro
Dizendo-me palavra doce e sincera
Quero ser o grande desejo que você espera

Ama-me hoje mais que ontem
Amanhã seu amor de novo eu quero
Meu amor é seu completamente

Sacia-me, nas tardes de verão
Refrescando-me
Com desejos e ardente paixão

Quero assim viver com você
O nosso amor renovando
A cada Estação
Para sempre amar você

Maria Beatriz Silva (Flor de Esperança)

Maria Beatriz Silva



MARIA CLEIDE DA SILVA CARDOSO PEREIRA


AMO-TE AINDA MAIS


A triste passagem dos dias,
O fim de toda esperança,
O fim do fogo que ardia,
As cinzas que restaram das lembranças...

A dor que marchou altiva, imponente,
O amor que foi traído pela ilusão,
Uma paixão cruel e inconsequente,
O choro de uma alma abandonada na escuridão...

Um grito sufocado pela indiferença,
Uma saudade que inventa todo sonho,
Um amor que machuca e condena
A um viver solitário e tristonho...

Grão a grão, a areia escorre na ampulheta.
O mundo gira e nada é como antes...
Sensações são fugazes, passageiras,
Apenas o amor é constante.

Ressentido, magoado, esquecido, ignorado,
Ele ainda existe, ainda que abandonado.
Por mais que me faça chorar,
Sei que tudo ele pode suportar.

Amor inabalável,
Amor infinito como o universo,
Amor de valor inestimável,
Amor que constitui cada verso.

Amo-te ainda mais, Dono de mim,
Não tenho como negar essa verdade.
Esse amor transcendente não tem fim,
Ecoará suas vibrações pela eternidade.


***


FLORESCER DO AMOR

Assim como toda semente
Carrega em si a vida,
O amor brota imponente
Na alma que o abriga.

O amor cura e regenera,
Tudo em que ele toca prospera.
O amor persevera e sabe esperar,
O amor não fere nem pode machucar.

O amor retribui a si mesmo, sem pedir nada,
Pois a plenitude habita na alma enamorada.
O amor é fiel e leal,
O amor não causa mal.

O amor existe mesmo na solidão,
Pois a pessoa amada é guardada no coração.
O puro amor não pode ser profanado,
A alma enamorada é um templo consagrado.

O amor nunca tem fim,
Apenas se aperfeiçoa a cada obstáculo.
O amor é mesmo assim:
Dois corações no mesmo laço.

Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira





MARIA DA CONCEIÇÃO RODRIGUES MOREIRA.

O AMOR

O amor tem múltiplas faces
O amor tem vida própria
Ele Te eleva com explosão
Já Nas primeiras horas que nasce

O amor tem verde meiguice
Tomadas emprestadas do céu
Te segue na sua infância
E te protege para velhice

O amor é forte elo
Donde se agrupa todos os seres
Tirando as dificuldades
Com esmero e anelo

O amor faz Milagres
Pois é força que perdura
Sobre as catástrofes emerge
No sustento que integra

O amor é sempre generoso
Cheio de encantamento
Propagada nas matérias
É o amor!

Maria da conceição Rodrigues Moreira





MARIA JOÃO BRITO DE SOUSA
Portugal
21/04/2010 – 13h54min

ATÉ AO FIM DO MUNDO...

Até ao fim do mundo e de mim mesma,
Nas diversas camadas do "sentir",
Multipliquei-me inteira no porvir
Das páginas de um livro, resma a resma

E, até ao fim de cada pedacinho
De um corpo que é de verbo entretecido,
Sê-lo-ei pelo tempo consentido
A quem coma do pão, beba do vinho…

Até ao fim do mundo hei-de ser eu
Quem foi verbo nas ondas, nas areias,
Na lava dos vulcões, no seu clamor,

Ou quem absurdamente pretendeu
Fazer desabrochar milhões de ideias
De um momento de raiva... ou puro amor…

Maria João Brito de Sousa





NADILCE BEATRIZ

AMOR E PAZ

Não são as paixões os grandes amores
Ora, se assim fosse
Que insensatez!
Apaixona-se até pelo caos...
Mas o amor não é tão exigente
Ele nunca busca
Espera ser encontrado
Nasce até sem semente...
Ouça, que declaro-te meu amor
Tão meu, indivíduo sentimento
Quem sabe nem me pertences
Só estás onde estou...
Tantas luas já fizeram juras apocalípticas
Sobre amantes libertinos
E quantos infelizes!
De súbito a luz os desnuda...
E diz o poeta que tanto amor sente
Sua paixão se esvai
Porque a causa é a dúvida
E oculta seu devaneio...
Veja nas nuvens, envio-te um beijo com nome de paz
É a minha paixão descascada
Posto que o amor existe sem invólucro
Sou o que o amor faz...

Nadilce Beatriz





NEUSA MARILDA MUCCI
Valinhos (SP) - Brasil

AMOR

Quando um verdadeiro amor germina
é como um dueto feito em cadencia
onde nada foi ensaiado,
nasce como semente pequena e forte
doando flores lindas a um jardim
Pode ser também
especial melodia, composta e afinada,
a cantar dentro de cada coração
no verbo amar, conjugado
em uníssono
no tempo felicidade
que parece não ter fim...

Neusa Marilda Mucci




NÍDIA VARGAS POTSCH

PARA SEMPRE TUA!

Pronta a te aceitar
Reciclo a lógica do meu pensamento
Revejo arcaicos conceitos
Ao sentir ternas vibrações que emanam
Desse momento crucial de escolhas...

Das oferendas de amor
Dispostas em seda marchetada
Que de ti recebi ternamente, com certeza
Perfumaram-me as mãos, meus dias e noites...

Quero nos ver cantar com a vida e para a vida!
E nesta bela e doce canção de acolhida
Envolta em sorrisos e magia apaixonada
Podermos compartilhar e compreender
Que em nosso amor devemos confiar.

Peço-te que habites em mim
Preencha-me com novas emoções
E em troca desta bênção de amor
Através do meu sincero, cristalino olhar
Desejo oferecer-te eterna morada
Acolhedor ninho de calor e paixão para
Apenas Amar... Amar... Nada peço mais!

Permita que nosso amor reine soberano!
Contritos, agradeceremos Àquele que nos reuniu...

***  ***

"O Amor não tem plural." (Ludwig Feuerback)

O BERÇO DA TRISTEZA!

Não há poesia nem rimas, onde ela se aninha
Que descrevam de modo condizente
A amargura de um coração eivado de tristezas.
No âmago do ser, bem lá no interior
Cresce sua ácida sementinha
Desenvolvendo-se em ramas envolventes
Que muitas vezes tomam conta
De nossas emoções, do nosso Eu.
Perde-se a beleza do viver
Alquebrada, desgostosa, pela dor profunda
Ou mágoa por seus sonhos desfeitos
Recebem cicatrizes que tatuadas
Permanecem sangrando
Na alma vazia... cheia de dor...
A alma sofre de maneira única!
A Esperança desacreditada
É pior que a ilusão
De quem nunca sonhou!

***  ***

"Na magia do teu sorriso há melodias do viver!" (NVPotsch)

O ALENTADOR SORTILÉGIO DE AMAR!

É todavia de quem se doa
 De quem ama
E independe do fato de ser amado.
Melhor ainda, se quem ama
 É correspondido
Em igual e real proporção
É tudo que se quer!

Amar nos faz luminosos
Com o coração em festa
 pelo inesperado
Com a aura colorida pelo sonho
De ser e compartilhar
 A felicidade do ser amado.

Amar nos remete
Ao âmago dos pensamentos
Ao recolhimento sutil do eu
Que poucos entendem...

Fica-se refém de outra alma
Com a qual se deseja repartir emoções
Peculiares aos namorados
À paixão que há em cada coração...

O Universo fica pequenino
Diante de tanto amor!
Os delírios, sortilégio de quem sonha
Por mais insensatos que sejam
São capazes de nos levar
 A um inusitado paraíso.

Sensação abrasante
De encantamento e entrega!

Amar é tudo de bom!

@MENSAGEIR@
Nídia Vargas Potsch
http://www.caestamosnos.org/autores/autores_n/Nidia_Vargas.htm





ODENIR FERRO
Brasil

CANTO UNÍSSONO DE VOZ UNIVERSAL!

São inumeráveis, as manifestações que nos motivam a procurarmos nos gestos de amor, as razões e as emoções que se concretizam em todos os teores racionais, emocionais, culturais, sociais, ambientais, espirituais, virtuais, presenciais – que nos envolvem pelos laços afetivos das forças da Vida – conduzindo-nos todos, a prosseguirmos avante, dentro de um inexplicável incógnito: o qual, nós o denominamos de futuro, e que é pertencente ao Criador
Regente do Universo. Soberano de Tudo e de Todos!

Mas, que Ele, deixando-nos um legado histórico, espetacular – o qual nós o denominamos e o sentimos e o vivenciamos como sendo o Amor – o qual vamos, interpretando-o, ou tentando interpretá-lo através de gestos, bocas, mãos, corpos, expressões faciais, através dos olhos, do carinho, das emoções, enfim, usamos de inúmeros recursos para exprimirmo-nos para algo ou alguém, quando estamos apaixonados, querendo, desejosos, dizermos que amamos... 

Amar é estar constantemente apaixonado pela Vida. Em todo o seu conteúdo. O amor não se explica, não se expressa, não se exprime... O amor é algo que sentimos involuntariamente. Nós associamos o Amor aos impulsos do nosso coração. Quando sentimos e vivenciamos o Amor, este fala mais alto e manda e comanda o nosso coração. O Amor é este Poema Universal Atemporal Transcendental! O Amor é este sentir que mexe com todos os nossos sentidos, que arrebata-nos a um profundo estado de êxtase – através do qual, elevamo-nos em total plenitude ao encontro do prazer, da satisfação pessoal de existir, de viver... O Amor é este intraduzível sentimento – que de tão abstrato, é intensamente real – e vive a arrebatar-nos aos mais lindos e intensos momentos de busca, de realização, de perdão, de compreensão, de redenção, de cordialidade, de magnitude, de plenitude, de felicidade, de união, de encontros, 
de encantos...

Juntamente com as correntezas dos ventos, dos rios e dos mares, o Amor circula por Céus e Terras! O Amor voa pelos ares, navega os mares e transita por terras e veleja as correntezas dos rios, e se banha nas cachoeiras e nos remansos cristalinos das águas dos lagos. Ele se ilumina com o brilho azul-petróleo solitário das mais longínquas, ou das mais equidistantes estrelas. Ele cerca e abraça a lua com afagos e beijos, ele circunda, através dos ventos, todos os cantos e recantos do Planeta Terra: desde os lugares mais remotos, até os grandes centros urbanos das grandes megalópoles. O Amor submerge-se até as profundidades mais inusitadas, mais obscuras, mais insólitas que habita os 
incógnitos profundos e desconhecidos dos oceanos.

O Amor navega por todas as Galáxias...!
O Amor alcança o brilho dos astros, asteróides e cometas! 
O Amor se perfaz dentro de si mesmo, através do Caminho pelas Estrelas!
O Amor envolve toda a Terra com o seu imantado, acalentado, idolatrado Canto Uníssono de Voz Universal!


O Amor beija as flores, juntamente com os beijos dos beija-flores. O Amor está em todos os recantos, em cada folha, em cada flor, em cada pássaro, em cada canto, em cada animal...

O Amor circula entre todos os hemisférios, interagindo em todos os lugares, em todas as estações climáticas... O Amor está em cada gota de chuva, em cada pétala d’água que se respinga das pétalas das flores, após a intensa chuva de verão caída. Ficando a rebrilhar-se, através das gotas d’água, na clareza iluminada e refrescante, e aconchegante de se olhar, de se saborear com os olhos, com os olhos da mente, do corpo e da alma do coração, enquanto vamos também nos aconchegando com o brilho atemporal dos raios do nosso astro-rei Sol!

O Amor nos dá oportunidade para estarmos sempre nos redescobrindo para a Vida! Ele nos dá guarida para enfeitarmo-nos e colorirmos os nossos dias tão efêmeros e velozes, para celebrarmos continuamente a Vida, com todo o seu imensurável conteúdo: A Natureza, A Humanidade, todos os animais, todas as plantas, tocando-nos com o Todo do Tudo o que é Divino, tudo o que é Sagrado, reconsagrando-se e nos redefinindo em tudo o que já está estabelecido, desde os 
primórdios Tempos da Humanidade!

O Amor é Plural. O Amor é Universal! O Amor é superlativo, o Amor é Verbo, o Amor é Adjetivo, pois dentro de todas as línguas o Amor perdura, através de si mesmo, dentro de sua própria linguagem atemporal e eterna: a qual, mesmo sendo assimilada por todos os nossos processos cognitivos humanos, e também, extensivos em compreensão a todos os animais e plantas, o Amor tem em si, a sua própria origem, a sua própria linguagem – a qual, mesmo sendo tão conhecida – também é, misteriosamente, desconhecida e incompreendida por 
nós todos (...!)

O ideal seria com que fizéssemos do Amor, um exercício incansável, laborioso, ímpar – segundo a segundo da nossa existência – numa entrega incondicional e despojada por tudo e todos. O Amor é abrangente. Mesmo sendo um sentimento tão abstrato, ele se faz presente ininterruptamente, dentro das levezas e das densidades mais intensas do nosso estado de ser.

O Amor nos motiva a repensarmos e avaliarmos os nossos atos, momento a momento. Ele nos impulsiona, nos dita regras, pois está intimamente ligado aos nossos estados de consciência.

O Amor é Global. E a sua linguagem é Universal. Ele se expõe numa linguagem que nós a conhecemos, mas que não a traduzimos, que não a verbalizamos – muito embora, sabemos – instintivamente, ou não – interpretá-lo dentro das entranhas espirituais mais profundas que estão concentradas no nosso ego, no nosso ser espiritual, no nosso ser físico, e nas entranhas mais profundas das memórias que estão guardadas ou resguardadas, dentro da alma do nosso coração.

O Amor está associado aos encantos e aos arrebatamentos que se concentram nos acordes melodiosos da Paz!
O Amor é um destemido e bravio Guerreiro Universal!


O Amor construiu e reconstruiu a nossa História Humana, nas mais diversas formas, nas mais diferentes fases, dentro do contexto planetário, através de todas as eras, em todos os tempos da criação humana. O Amor impulsionou homens e mulheres destemidos, a descobrirem outras terras... A descobrirem outros paradigmas existenciais... A formarem novas culturas... 

Foi, e sempre será o Amor, somado aos desejos dos sonhos; por querermos desvendar os incógnitos misteriosos do além das distâncias... Dentro dos nossos incalculáveis desejos de ultrapassarmos os limites, superarmos os medos, vencermos as barreiras, os obstáculos...

O Amor fez com que – não somente a olhássemos encantados, extasiados, arrebatados, para a lua – sobrepondo-nos, através das nossas limitadas condições humanas, entremeio a todas as eras, e, mas que também, – nos inspirássemos, através dela –, fazendo dela, a elegante e glamorosa musa atraente e solitária e solidária, e, envolvente – que sempre foi e será, – aos nossos poéticos, poetizados, amantes e amados corações... 

A nossa grandiosa, grandiloquente Lua, foi, está sendo, e sempre será, também, sim: Um palco deslumbrante... Formado pelo seu cenário interior... Por todos nós, descoberto, desvendado, através das imagens antigas e ruins das redes de televisão mundial, na época dos anos 1960. E, desta forma, chegássemos e caminhássemos em uníssonos emocionais – registrados no inconsciente coletivo – juntamente, em uníssono espiritual, e, através dos nossos históricos personagens humanos: Os Astronautas! Grandiosos, desbravadores e destemidos homens, que chegaram até a ela, pisaram no seu solo... Fazendo dela, mais, muito mais, ainda, a sempre tão nossa encantadora e musa inspiradora de todos nós... Principalmente, dos loucos e dos apaixonados e dos poetas: a Lua!

- Interrompo a sequência literária deste artigo, para deixar aqui, o registro de falecimento do astronauta Edgar Mitchell, acontecido na quinta-feira, dia 04 de fevereiro de 2016. Ele foi um dos poucos sortudos a pisar na lua, como integrante da Apollo 14, em 1971. Ele foi o sexto homem a pisar na lua. Ele faleceu um dia antes do aniversário do seu pouso lunar. Minhas condolências, e, desejo que Deus o receba na Eternidade!

E... Finalizando: o Amor, fez, faz e fará todos os imagináveis ou inimagináveis impulsos, movimentos, élans, já conhecidos ou ainda desconhecidos por todos nós... Até quando, num dia qualquer, possamos – individualmente ou não, – reencontrarmos com a Divindade da Criação; tão logo findarmos mais um ciclo vivencial físico. Para então, reintegrarmo-nos, espiritualmente, com o nosso Eterno Pai Celestial. Criador de tudo e de todos!


Odenir Ferro




PAULO ROBERTO WALBACH PRESTES
Brasil

Perguntando

Vem explicar-me, supliquei ao vento,
o que é o amor, esse estranho sentimento?
Porém o vento sussurrou de leve,
muito de leve,
dizendo que não sabia.

E fui andando pela noite fria,
suplicando até as estrelas,
fazendo a mesma pergunta
e elas também disseram: não sabemos.

E pela estrada vinha alguém calado,
secando as lágrimas com um lenço branco.
Então, parando, perguntei:
O que é o amor, o que é sentir-se amado?
E ele me disse, com olhar tristonho,
muito tristonho:
"O amor a gente apenas sente"...

Paulo Roberto Walbach Prestes





POLICARPIO COSTA
(Poeta Sonhador)
Brasil

A distância não vai nos separar jamais
Você é a menina e o poeta de uma vida.
Mesmo atrás da montanha eu vou te procurar;
Você amada amante, jamais será esquecida...!

Agora eu sei, a falta que você me faz
Porque o nosso amor, foi amor sem limite.
Aqueles beijos que te dei, ainda trago na boca;
Quantas vezes no café da manhã trocamos palpite...!

Algumas noites só nossas foram cama e mesa
E durante a noite uma doce e louca cavalgada.
Mas como é grande o meu amor por você ;
Custe o que custar te amarei minha amada...!


Mas hoje eu quero saber, como vai você
De que vale tudo isso, estando assim tão distante.
Pois afinal são tantos e tantos detalhes;
Isto é um desabafo de quem te ama bastante...!

Até dizem que um homem não deve chorar
Mas não aguento, afinal são tantas emoções.
Eu daria a minha vida, para ter outra vez você;
Eu te amo e queria sentir junto nossos corações...!

Nossos corpos parecem, o côncavo e o convexo
E os seus botões da blusa que você usava.
Debaixo dos caracóis dos seus negros cabelos;
Quando nos lençóis macios a gente se amava...!

Policarpio Costa



RAYMUNDO DE SALLES BRASIL
Pitanga – Brasil
 27/11/2014
  
AMOR É COISA SÉRIA

Não se deve falar de amor, em vão,
Nada existe no mundo de mais sério,
Pois somente do amor nasce o perdão,
E Jesus fez do amor seu ministério.

O mestre, seus alunos lhe ouvirão,
Mesmo se o não puser em seu critério,
Mas certamente não lhe seguirão,
E terá sido em vão seu magistério.

Em tudo ponha um pouco, complemente,
Um punhado de amor não fará mal,
Com todo paladar é condizente.

O rico fica bom, perde a ganância,
O nosso passadio fica frugal,
E a nossa vida ganha mais substância.

Raymundo de Salles Brasil





RENATA APARECIDA GOMES
Taguatinga (DF) Brasil

O SOPRO DO AMOR

Reconhecer o amor, sentir
e ouvi-lo
é um presente para vida...

As folhas das árvores
balançam com o vento
que encanta...

Fazendo soprar na alma
um sentimento
puro e sereno...

O sopro da vida,
o sopro do amor,
que encanta e faz viver.

Renata Aparecida Gomes






RICARDO DE BENEDICTIS

QUEM SABE?!!!

O amor de mil mulheres
Acrescentam-me misteres
Que não canso de aprender.
Quem sabe, um dia, quem sabe,
Esse amor todo desabe
Bem antes de amor, ser!...

Quem sabe, a bela amizade
Livre-me dessa ansiedade
De tais amores conhecer!
Quem sabe, um dia, quem sabe,
Conheça o amor que me cabe
E enfim, o possa descrever!...

A vida nos prega peças,
Nos faz crer em vãs promessas,
E o tempo a nos corroer!
Até que velhos, um dia,
Compreendendo a utopia,
Quem sabe, possamos ver

Que tudo na vida passa,
Como um jato de fumaça
A cobrir nossa visão!
Quem sabe, então, poderemos
Conhecer o que de menos
Nos afeta o coração!

*** ***

PRIMEIRAS NAMORADAS! Figuras de Salvador...

Logo que fui morar em Salvador conheci uma menina loirinha de nome Enóe.

Daí em diante passei a freqüentar a rua dos Carvões, o Largo de Santo Antonio, a rua Direita, Aquidabã, 15 Mistérios, Marchantes, Carmo, Passo, etc. Esse primeiro namoro durou pouco. Um mês foi o bastante para que eu conhecesse o meu primeiro grande amor. Coincidentemente, seu nome era Zenóe, Noinha, como a chamava... Ela morava no 33 da rua Direita de Santo Antonio e tinha muitos irmãos e irmãs, que com alguma razão, eram contrários ao nosso namoro. E isso só fazia aumentar nosso desejo de encontros, cada vez mais prolongados e mais íntimos.

O tempo passou célere e inesquecível para nós dois... Íamos à praia, ao cinema, namorávamos na porta da sua casa e até na escadaria da minha casa, contra a vontade da minha mãe...

Um dia brigamos feio. Já havíamos brigado antes, por várias vezes, mas esta última havia sido mais séria.

Nós nos amávamos, mas não dava para continuar.

Gostaria de dizer que no inicio do namoro tínhamos 13 e 12 anos, respectivamente. Naquele tempo, 13 anos ainda era uma idade ingênua, sem experiências sexuais...

Quando completei dezessete, terminamos uma página bonita das nossas vidas.
Vez por outra nos encontrávamos, aí éramos atraídos como dois ímãs, um contra o outro e ficávamos horas a fio como se nada houvesse acontecido, como se nos tivéssemos visto no dia anterior. Depois saíamos tristes e melancólicos, como se aquela tivesse sido a nossa última vez. Repetimos vários encontros casuais, até que saí de Salvador para morar em Poções e depois no Rio de Janeiro.

Nunca mais a vi ou soube algo sobre aquela menina linda que me ensinou os primeiros passos na vida homem-mulher. Deus a proteja, querida!...


Ricardo De Benedictis





RITA DE CÁSSIA CÔGO
Guaçuí (ES)

AMOR

Um sentimento que embala a vida  e  manifesta em todas as etapas do desenvolvimento de um ser humano.
O amor está na criança que mama, sorri, chora, corre, anda , pula, grita, fala...
O amor está no adolescente  que paquera, briga,anseia,sorri, chora,conecta,cria e desfaz laços de amizades, se diverte, ultrapassa limites...
O amor está no jovem que sonha, estuda,trabalha, namora,canta,dança,pratica esporte, questiona...
O amor está no adulto que  casa e separa, trabalha, preocupa, ambiciona,constrói, cuida, reflete, ora...
O amor está no velho que anda devagar, de cabelos brancos, com um sorriso e um olhar cansado, que possui inúmeras lembranças de sua longa trajetória de vida...
E isso nos faz  pensar. O  que é afinal  o amor?
O espelho  da vida. A expressão do sentimento do bem querer e fazer em cada etapa do desenvolvimento do nosso ser.


Assim, o amor
Nasce,
Renasce,
Remove,
Muda,
Eleva,
Suaviza,
Eterniza a alma de cada ser humano.

Rita de Cássia Côgo




RITA SILVA VARINO
Brasil

SOMBRA DE FREIA

Encontrei nos lábios de vinho
o fogo,
que me envolve em labaredas espirais,
o desejo,
de afogar o meu corpo,
na fonte do pecado.

Majestosa,
surge à rajada de vento,
voraz,
que incendeia o grito do prazer proibido
e me desfaz,  
em poesia, silêncio e cinzas.

Rita Pea




RITA ROCHA
Santo Antônio de Pádua (RJ) - Brasil

AMAR É AMAR...

Vive-se melhor quando o Amor está enlaçado ao coração,
tudo fica leve como pluma, é o sentimento que dá emoção à vida.
O mundo sem Amor seria triste, sem graça,
os sons não trariam a beleza da música, que nos enleva,
o brilho da lua, o sol que nos iluminam,
as cores da Natureza não nos pareceriam tão belas.
Sem Amor não se vive, tudo fica difícil.
Não apenas o Amor entre almas unidas e
consagradas nos corações dos amantes...
mas em todos seguimentos da vida,
o Amor tem que marcar forte presença.
Temos que olhar nos olhos de nossos irmãos com Amor,
temos que viver o Amor diariamente.
Fomos criados à imagem e semelhança de Deus,
o Amor tem que habitar o coração do ser humano,
e de toda criação divina, nas mais variadas formas.
Ele é fonte de vida, de calor, é o ar que alimenta nossa alma!
Sigamos irmanados numa corrente de Amor.
Todo ser humano, toda criação do Pai deve ser amada,
respeitada, sem distinção de credo, cor ou nacionalidade.
Difícil é amar ao próximo como a si mesmo,
mas não é uma tarefa impossível, porque abrindo o coração a Deus,
as impossibilidades desaparecem.
Aprendi que Amar é Amar, e não há nenhum esforço neste gostar,
ao contrário, é uma bênção a mais, facilitando a vida,
pois o mundo está cheio de pessoas carentes de afeto,
uma palavra de conforto, também é Amor,  gerando bem-estar e felicidade.
O Amor é a mola construtora da vida!

VIVAMOS O AMOR!

Rita Rocha
http://www.caestamosnos.org/autores/autores_r/Rita_Rocha.htm





SÁ DE FREITAS
Avaré (SP) - Brasil

AMAR

Amar é dar à alma a paz e a esperança;
O alento, a alegria, o sonho e a realidade...
Quem ama canta e ri contente igual criança
Num carrossel, girando na felicidade.

Amar é querer muito e aceitar o pouco,
Mas quando tem o pouco, o muito quer achar,
Na incontida ânsia em seu desejo louco
De tudo, pelo amor, na vida conquistar.

Amar é ter até a ilusão de, um dia,
Descer o Firmamento aos pés de quem se ama,
Numa demonstração de encanto e de poesia.

Amar é ter enfim, a solução devida
Ás dores e aos percalços que o destino trama;
É dar mais força e vida à nossa própria vida.

Samuel Freitas de Oliveira





SIMONE CRISTINA DA SILVA

OLHOS CASTANHOS

Eram uns olhos castanhos claros
De um brilho intenso, um brilho raro
Onde por vezes me perdia

Demonstravam sentimento
Que fosse por um momento
Neles eu me via

Cheguei a acreditar
Que o brilho daquele olhar
Algo me dizia

Que tolice fora a minha
Acabei amando sozinha
Pois o mesmo brilho me mentia

Sem um adeus foste embora
Batendo a porta afora
Deixando minha vida vazia

Eram uns olhos castanhos claros
De um brilho intenso, brilho raro
Eu mal os conhecia

Cheguei um dia a acreditar
Que o brilho daquele olhar
Era o Sol do meu dia
  
***   ***

(DUETO DO AMOR SOLITÁRIO)

Por onde andas minha amada?
Há tempos te procuro
São tantas as madrugadas
Lamentadas no obscuro

Também te procuro meu amado
Há tanto tempo que nem sei
Como queria estar ao seu lado
Como sempre sonhei...

Quando será permitido
Estar em seus braços, estar contigo?
Te procuro minha amada
A saudade é um castigo

Quem sabe um dia meu amado
Estaremos lado a lado
Sairemos do obscuro
Se assim Deus permitir
Juntos iremos seguir
Eu juro!...

Enquanto isso minha amada
Eu te encontrarei de madrugada
Nos sonhos meus

Te espero meu amado
com o coração já apertado
estarei nos braços seus ...
  
Simone Cristina da Silva





SILVANIO ALVES

SENSIBILIDADE...

O brilho do sol de verão refletido no verde
Das árvores, flores e nas nuvens celestiais
Desenham o horizonte com cores especiais
Que a alma tenha alegria que não se perde

E, por amor, a vida se torna dom magnífico
Com sua presença, o sorriso é algo mágico
Magia que o coração repercute quando pulsa
Alimenta as células vitais na existência astuta

Como a chuva que cai, molha e germina a terra
Faz nascer a semente e com frutos, sacia a fome
A esperança de fartura surge com força, na serra

Os olhos se encantam com a beleza que não some
O universo responde com amor, apesar das atitudes
E espera que a gente tenha sensibilidade e quietude

Código do texto: T5544559

***   ***

O AMOR É A ESSÊNCIA...

O sol nascente anuncia o amanhecer
Diante da aurora que encanta o olhar
Renova a esperança em todo meu ser
Que vibra no meu coração sem parar

Revela que o amor é a essência da vida
Que pulsa permanente em cada estrela
Brilha e ilumina o céu de forma atrevida
Irradia no infinito para que a alma creia

Que o horizonte se embeleza com magia
E ornamenta o universo com pura alegria
Transforma a tristeza e oferece felicidade

Onde o choro deixa de existir na realidade
E seja substituído pelo sorriso plenamente
Porque que a mágoa deixa a pessoa doente

Código do texto: T5502219

Silvanio Alves





 SILVINO POTÊNCIO

APENAS AMOR, DO MEU SER!...

Os frutos da nossa união,
Da festa do meu coração,
Da ressaca desta paixão!... não é apenas amor não!

Deste muito que te dei,
De tanto,  tanto que te amei,
Um sentimento que eu bem sei... é apenas amor que sonhei!

E depois de tanto te dar,
De dia e à noite ao luar,
O que tenho para te mostrar... é apenas amor p'ra brindar!

Brindemos, pois ao viver,
Neste breve entardecer,
Da vida que não pode ser... apenas amor do meu ser!

(in: Poesias Soltas - Fev 2011)
Original Publicado em:  www.silvinopotencio.net


***   ***

AMOR DA MINHA MÃE!!!

A Minha Mãe!!!
Que Deus me levou e já lá tem,
Era linda como ela só...
Que pena tenho dos meus filhos,
- que Não conheceram a Avó!

Nos dias que hoje passam!!!
Nunca passa nem um só...
Que eu não me lembre dela.
E por isso digo aos meus filhos,
- que ela era a mais bela!

A Minha Mãe!!!
Que de mim ELE levou, já se foi!
Mas me deixou os meus filhos,
A quem eu digo todo dia,
- o quanto a saudade me doi!

É Dia das Mães... Deus,... ora viva!
Vamos pois então comemorar...
Á Minha Mãe e à tua, a todas que nos deram a vida,
Por isso digo aos meus filhos,
- o quanto ela viveu para amar!

O Amor de Mãe não se pede...
Não se ganha, não se compra, nem se implora.
O amor de mãe somos nós mesmos,
E enquanto rimos, ela tantas vezes chora!

Ah, Minha Mãe, Minha Mãe!!!...
Que eu chorei de dor quando a perdi.
Ela subiu,... foi-se embora em tempo incerto...
E desde então eu nunca mais a vi!

Mas sinto aqui no meu peito,
Esta dor desta saudade,
Esta Ânsia de a ver... aqui bem perto...
De a lembrar por toda a minha eternidade!
A ti, Minha Mãe, eu amo de peito aberto!!!

Silvino Potêncio
MAIO/2011 (In: Poesias Soltas)





SONIA ALCALDE
 Bagé (RS) - Brasil

SILÊNCIO
À Guerra Junqueiro, pela inspiração

Tardo a te dizer, amor querido
A vida inteira cravaste no meu peito sentida lança

Não tive como gritar pro mundo inteiro
A dor do amor emudeceu-me, quedei-me exangue

Ninguém percebeu coração tão machucado
Aguardando de ti algum afago.

Ninguém chegou a mim estendendo água
Pra livrar do sangue derramado

Portei-me como austera espiã que não se entrega
Na tortura, nenhum sinal revelou minhas entranhas

Vi pares se beijarem sob flores e luares
Senti a agonia de não estares ao meu lado

Estendi moedas a mendigos ulcerados
Não conseguiste ver meu coração dilacerado

Oh, amado, o que queres, diga-me agora
Porque feneço se não me alcanças

O teu silêncio é lança, é punhal, é dardo, é espinho
É tudo, é nada, abandonaste-me à beira do caminho

Vem, amado, diga-me alguma coisa
Porque feneço, não sentirás o cálice que ainda resiste em mim.

Sonia Alcalde





SONIA NOGUEIRA

AMOR

Pudesse eu ter a força do amar,
Faria da vidraça meu painel.
Da vida só encanto e no farnel
Levava toda sorte em meu olhar.

A vida, enxurrada de emoções,
Nas letras todo amor e galhardia,
A solidão... Ah, nunca em mim valia,
Apenas partilhar cantos, rincões.

Formava nas palavras poesia
De amor, sem empecilhos dia a dia,
E no álbum os sonetos alforria.

Liberta sim coragem que se foi,
Levando a saudade, cobardia,
Voando feito pássaro albatroz.

***  ***

NÃO TEM PREÇO

Cada pedaço que vem de teu olhar.
Ora meu olhar sorrir e fica inerte,
Ora furacão oculto, mudo, investe,
Não sei se vou, se fico a contemplar.

Não tem preço o sorriso que me envias
Cedo, ao cruzar sinal vermelho, ali,
Coração em tic tac rima por aqui,
Não sei se paro, freio, grito avarias.

Se amar, não sei, nem se te quero ainda,
Querendo te querer, vivo em dilema,
Não vi tal solução no teorema.

Sei que o ímã do olhar fere calado,
A imagem do sorriso leva ao fado,
Silencio hibernado, que não finda.

Sonia Nogueira






THAIS ARRIGHI
São Paulo - Brasil

AMOR PERFEITO

O oceano só é belo
Iluminado pelo luar.
A canção só tem razão se cantar
O poeta só é grande se sofrer...
E o meu coração só é feliz se eu te amar!
Portanto... Tenha a certeza...
Nunca deixarei
Este grande amor por ti morrer!
É um amor tão perfeito
Que eu tenho por você... Que
Cabe certinho no coração da gente
Baila como pluma na emoção
Levando pra bem longe a saudade
Dando espaço só do amar
Trazendo a felicidade!
No seu amor eu encontro
Um porto...
Abrigo da solidão
Tornando-se uma aliança
Do destino já traçado
Que agora vai-se cumprindo
Neste amor tão perfeito
Dentro do meu peito atrevido... Que
Tudo transforma...
Com o brilho tão grande deste só nosso
Amor Perfeito!

Thais Arrighi




TÂNIA TONELLI

AMOR

Amor! Qual é o seu significado?
Amor: afeto a uma pessoa do sexo oposto, afeição, grande amizade
Pois eu amo a vida, a natureza, os animais,
Os astros e nossos semelhantes!

A vida deve ser amada
Porque com os olhos vejo a beleza do mundo
Caminhando com as pernas aprecio as maravilhosas paisagens
Utilizando meu cérebro luto para realizar os meus sonhos!

Meu amor pela natureza é infinito
É lindo ver a chuva caindo sobre as plantas
O mar é espetacular por suas diversidades biológicas
Nenhuma beleza é igual das flores!

Os cães e gatos por serem animais de estimações são amados
Todos os animais são perfeitos
Porque a natureza lhes deu um significado especial
Os pássaros encantam os nossos ouvidos com o seu cantar!

Desde o surgimento da humanidade os astros guiam os seres humanos
O sol com sua luz ilumina nossos dias
A lua e as estrelas ficam fascinantes durante a noite
Com suas luzes ajudam a clarear as noites!

Eu amo os nossos semelhantes
É lindo ver uma mulher gravida,
Os bebês, crianças, jovens, homens e idosos
O meu amor especial é você querido príncipe encantado!
  
Tânia Tonelli





TÉKA CASTRO

AMOR DE MÃE
Aos meus filhos queridos:
Alexia Cristina, Emmanuel e Anna Clara Castro
 e a minha mãe Deonilde.



Maria, inspiradora mãe de Cristo,
Em minha humilde oração, peço por conversão.
Não me ensinaram na escola, não.
Ser mãe e filha não é fácil.
Ainda mais numa época tecnológica,
Psicológica de infames morais.
Maria, em minha oração, peço paz.
Peço por ajuda, me acuda!
Quero mostrar aos meus filhos o amor,
Saber expor como expusestes o teu.
Maria me ensina a amar a cada dia.
Perdoar e acima de tudo respeitar aos desígnios de Deus.
Amar um filho é querer morrer por ele,
E, não vê-lo morrer a cada dia,
Ou pregado numa cruz, como vistes teu filho,
Nosso Senhor Jesus.
Maria, amar é saber dosar mil coisas, é fazer o impossível e improvável.
Quero ser mãe e amar mais a cada dia,
Não em palavras mágicas de minhas poesias,
Mas amar de atitude, coração, e ensinar a partir o pão.
De coração, Maria, escute esta oração,
Que vem de minh’alma.
Acalma meu coração,
E, me deixe amar como outrora amastes Jesus.
Alivia esta minha dor.
Me ensine o mais puro de todos: o Amor.


Téka e os filhos: Emmanuel, Anna Clara e Alexia Cristina(óculos).

Téka Castro





VÉRA LÚCIA DE CAMPOS MAGGIONI®
Santa Rosa (RS) - Brasil
 12/06/2015

AMAMO-NOS!

Meu amor, disseste tudo,
Ao proclamar “Eu te amo”,
No mesmo batimento meu!
Amamo-nos!

Céus se entrelaçam,
Corpos se abraçam,
Somos um,
Ontem, hoje, sempre!

***

AMOR CONSTANTE
5/04/2015

Para o meu amor, Elói!

Deste faço o maior instante,
Para dizer-te do meu sentir:
Tenho-te em amor constante,
Uma das razões do meu existir!
  
Véra Lúcia de Campos Maggioni®
http://veraepoesiaemsoprosversados.blogspot.com.br/




VON TRINA
Samora Correia - Portugal

AMORIS IGNEM ACCENDE

O homem jaz de ânimos aniquilados pelo sol
frio de carinhos desconfortável mulher distante
mutilada de desejos carnais confessos
pela tradição dos valores do costume
não pelo espírito sagaz que olha espreita furtivo
aqui  ali por entre dispensáveis nuvens de Agosto
destemperadoras da latina paixão mimada

olhando daqui o astro-rei é rainha e senhora
linda de excitações não correspondidas
ou será apenas oráculo da minha carência
poderei captar os seus favores com envolvências
ternas promessas eternas  sensíveis
que valorizando o feminino fala de lendas
encantos amores fiéis tão imortais quanto doces

mas ao transvertir das horas e do deus-pagão
ficando o ser aprovisionado no desprovir da logos
o pálido satélite atrai  ilude exibindo luz alheia
no jardim do arco-íris tempo de cegonhas distraídas
as dúvidas esvaem-se nos amantes tontos pelo voar
imprevisível das árvores a partir da fofa relva
e pelas raizes dos mil e um pássaros protectores

Sem lastro de fé abandonados nas vãs promessas
é tudo tão simples e existem cavalos alados.
Perlimpimpim.

von Trina




ZZCOUTO®
Rio de Janeiro - Brasil

AMOR PROFUNDO!!!

Certo dia, triste me sentia,
quando uma voz me chamou,
sem acreditar no que via
ele disse: vem, aqui estou!

Segui o seu caminho
e em suas mãos me agarrei.
Hoje sou o seu benzinho
e por ele me apaixonei.

Num transporte de amor,
carinhoso me resgatou
e com força de um sonhador
o meu amor conquistou.

Enfim, envolta em seu amor
vou revelando para o mundo,
que a felicidade é um primor
quando se tem amor profundo.

***

PERPÉTUO AMOR!

Nesses versos de mulher sonhadora
perpetuo todo o meu amor,
ao homem da minha inspiração
dominador do meu coração.

Nesses versos de mulher querida
perpetuo apaixonada ao meu amado,
fortes sentimentos em ternas poesias
dedicando momentos de alegrias.

Nesses versos de mulher desejada
perpetuo um cântico de amor,
romântico, apaixonado e singelo
que faz nosso viver tão belo.

Nesses versos de mulher amada
perpetuo ser fiel companheira,
captando bençãos ao Pai Criador
a iluminar nosso eterno amor!

ZzCouto
www.zezecoutoslides.com



Um brinde ao AMOR!




6 comentários:

  1. Boa noite! Estou emocionada de estar neste evento maravilhoso entre os nobres escritores... Uma honra,gratidão eterna! Parabéns a todos!!! Abraço em seus corações!

    ResponderExcluir
  2. Linda revista, pelos poemas/crônicas, formatação primorosa. Parabéns a todos os poetas que participaram.
    Beleza pura e simples!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Uau...
    Não sou escritora, mais aprecio literaturas, poemas e crônicas realmente obras estas que falam com o profundo da alma, espírito e corpo.
    Amo escrever o que sinto, vem da alma pois trás um alívio para minha alma quando escrevo.
    Estou facinada com tanto amor, carinho, dedicação e tenura.
    Trazendo pureza, leveza, e simplicidade a alma.
    Realmente me emocionei com tudo isto.
    É espetacular, fantástico...
    É algo muito divino...
    Parabéns a todos, vocês são excelentes.
    Grande abraço e beijos a todos vocês que são maravilhosos!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir